– E quem tomará conta de quem? Sobre a prevenção à manipulação de resultados no Campeonato Brasileiro

Hilário Medeiros, chefe do Departamento de Segurança da CBF, foi escolhido por Marco Polo Del Nero para ser Oficial de Integridade da entidade. Tal cargo estará em sintonia com o trabalho da empresa suíça SportRadar, a fim de monitorar possíveis manipulações de resultados e interferências em jogos da Série A, B, C e D (segundo Igor Siqueira, jornal Lance, coluna De Prima, pg 3, 16/08/2017).

Vez ou outra estamos ouvindo falar de times que “entregam jogos” nas divisões inferiores dos campeonatos regionais. Claro, times mais fracos economicamente e na parte de baixo da tabela estariam mais suscetíveis a essas ofertas de apostadores.

Um goleiro sem salário, atletas desmotivados, um treinador na pindaíba ou um diretor de clube ganancioso seriam alvos dessas máfias. Evidentemente, os árbitros de futebol estariam nessa lista também.

Você sabia que o árbitro de futebol tem que entregar Certidões de “Nada Consta” Civil e Criminal? Que não pode ter nome sujo na praça, passando longe do SPC e Serasa? Em teoria, se ele está com as finanças no vermelho, poderia ceder às tentações. E eu não condeno isso, é uma busca pela segurança.

A minha questão é: e os COMANDANTES desse pessoal? Chefes de Comissões de Arbitragem das Federações e Confederação, assessores e outros próximos desse pessoal! Todos passam por esse pente fino?

Também não seriam eles visados, ou somente os árbitros?

Não são acusações, logicamente. Mas o ditado de que “pau que bate em Chico tem que bater em Francisco também” não é perfeito para esse caso?

Exclua-se, por motivos óbvios, Marco Polo Del Nero, afinal ele nada deve à Justiça Brasileira, ok boys and girls?

Good Luck. Thanks. Congratulations, FBI.

Em tempo: lembram que em 11 de junho deste ano, a Corregedoria dos Árbitros divulgou documento dizendo que existe gente conhecida do meio tentando assediar e manipular placares de suas competições e pediu cuidado aos árbitros? Não se divulgou ainda o nome da pessoa ou consequências do caso…

bomba.jpg

– Não tem premiação da FIFA para a arbitragem? À margem do The Best…

Curto e grosso, após a divulgação dos candidatos à premiação THE BEST da FIFA: há o prêmio para melhores jogadores e jogadoras de futebol; há os de melhor treinador para futebol masculino e feminino; agora há para os melhores goleiros e… ninguém merece no quesito arbitragem?

A FIFA poderia prestigiar melhor o árbitro de futebol. Ou o prêmio irá para algum cartola?

Lamentável tal esquecimento / falta de importância.

bomba.jpg

– A insistente mentira do árbitro de vídeo no futebol brasileiro. Mudou para 2019?

Em 08 de março de 2016, a CBF divulgou que usaria o árbitro de vídeo (VAR) no Campeonato Brasileiro daquele ano. Na oportunidade, de pronto, escrevemos que isso era impossível, tratando-se de um ato demagogo de quem sempre promete e nunca cumpre.

O motivo da entidade tergiversar? Logicamente, o de mudar o foco das críticas quanto a ausência de Marco Polo Del Nero de compromissos internacionais e de abafar as reclamações dos clubes no Campeonato Brasileiro. Além, claro, a falta de tempo para implantação e de não puder alterar a regra. Leia atentamente a crítica feita na oportunidade em: http://wp.me/p55Mu0-QM.

Em Abril de 2016, a CBF prometeu a implantação do árbitro de vídeo para no máximo em Maio do ano passado. Novamente, era clara a mentira e fizemos questão de registrar tal incredulidade aqui neste outro link: http://wp.me/p55Mu0-QM. E não é que depois a data mudou de novo, para Agosto de 2016, e ainda em OFF? Se recorde, pois está registrado aqui que nem em 2017 teríamos tal experiência, vide em: http://wp.me/p55Mu0-X5.

Pois bem, acabou o Brasileirão e em Dezembro de 2016 escrevemos sobre o fiasco de tudo isso na postagem VAR DA FIFA É REAL, VAR DA CBF É BALELA. O árbitro de vídeo brasileiro nunca foi visto atuando “prá valer” em um trabalho oficial no Campeonato Brasileiro. Comprove aqui nesta postagem: http://wp.me/p55Mu0-1eI.

Enfim, quando saiu a tabela do Brasileirão de 2017, eis que a CBF mudou de novo a data da implantação do vídeo para a arbitragem: 2018, por ser muito caro (justo a endinheirada entidade…). Também fizemos pertinentes observações aqui: http://wp.me/p55Mu0-1lG, em especial, a de que a CBF havia remanejado há tempos o comandante da arbitragem Sérgio Correa da Silva para um exclusivo departamento de Desenvolvimento de Árbitro de Vídeo. Só frutificaram duas experiências malsucedidas na final do Campeonato Pernambucano, reclamadas até hoje.

Agora, ao Programa Redação Sportv, a data mudou pela enésima vez: foi para 2019! O ousado projeto tupiniquim no qual se queria até mesmo pautar a FIFA (lembram-se da viagem de Manoel Serapião à entidade e o glamour do anúncio da CBF do pioneirismo em seu site?), parece mesmo ser diálogo flácido para acalentar bovino*.

O link do anúncio pode ser acessado aqui: http://sportv.globo.com/site/programas/redacao-sportv/noticia/2017/08/cbf-so-deve-aderir-ao-arbitro-de-video-no-campeonato-brasileiro-de-2019.html

Respeitosamente, para quem fez promessa no começo de 2016 e adiou tantas vezes, não acredito em data alguma. Um dia ocorrerá, mas não sei quando.

E você, acha que o árbitro de vídeo, lá em 2019, funcionará?

*conversa mole para boi dormir.

bomba.jpg
foto da experiência do vídeo árbitro em Pernambuco, extraída do blog do Diário de Pernambuco.

– Se não é simulação, não é para cartão!

Fui perguntado se Cristiano Ronaldo foi bem expulso pelo segundo cartão amarelo no jogo de ida no Santiago Bernabéu (Real Madrid x Barcelona, ainda da semana passada). A resposta é: NÃO.

Ele levou um cartão amarelo por tirar a camisa na comemoração do gol. Está na regra e jogador profissional sabe que não pode. Então, ok. Mas o segundo cartão amarelo de uma suposta simulação de pênalti foi equivocado. Não foi pênalti, mas ele cai por força da jogada, não por tentar cavar a penalidade (e nem houve reclamação ostensiva). Errou o juizão ao querer ser mais realista do que o rei no jogo do Real (o trocadilho foi inevitável)…

O problema foi: aquele desnecessário empurrão do CR7. Foi sanguíneo demais. Para o naipe dele e sua remuneração, poderia ter evitado.

– Detalhes da arbitragem de Botafogo 0x0 Flamengo e Grêmio 1×0 Cruzeiro, além do caso (mais um) de racismo.

Muito já foi falado ontem sobre o empate no Engenhão no jogo de ida da semifinal carioca da Copa do Brasil.

Quero considerar que:

Anderson Daronco foi bem tecnicamente, mas mal auxiliado pelos bandeiras. Entretanto, o que pesa contra o árbitro foi sua péssima conduta disciplinar. Errou ao não expulsar Rodrigo Pimpão por uma entra violenta nas pernas do seu adversário (muito ruim um árbitro FIFA contemporizar com o cartão amarelo), e exagerou na expulsão de Muralha e Carli aos 33 m do segundo tempo (era para cartão amarelo por atitude inconveniente de ambos, pois o jogo já estava parado por impedimento). Uma pena que isso tenha acontecido, mas tem dia que até o árbitro (assim como um atleta) levanta com o pé esquerdo.

O episódio a lamentar foi o caso de racismo de um cidadão que imitou um macaco aos familiares de Vinícius Jr que estavam em no camarote do Estádio. Desde quando a raça branca é superior à raça negra (sendo que o maior jogador de futebol de todos os tempos, Pelé, era negro?). Mané Garrincha não me parece ter sido loiro de olhos azuis (embora tenha um filho sueco).

Felizmente, os próprios torcedores do Fogão identificaram o idiota e o entregaram para a Polícia. Mas ficarão duas perguntas:

1- O que leva uma pessoa a gratuitamente ofender outra? Em específico, o que fez Vinícius Jr ou algum dos seus familiares para ter recebido tal ofensa dessa pessoa ignorante?

2- O caso do Botafogo terminou com a identificação e prisão do agressor verbal. Mas ele difere muito do caso do Grêmio (onde vários torcedores ofenderam o goleiro Aranha) e o clube foi eliminado da mesma competição – a Copa do Brasil – ou não? Ou independente do número dos ofensores, a punição deveria ser a mesma?

Em tempo: parabéns ao bandeira Bruno Rizzo, que com um “pulinho” lateral para o lado esquerdo salvou a boa arbitragem que estava fazendo Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, desmarcando um pênalti e marcando tiro livre direto na partida Grêmio 1×0 Cruzeiro. Ótimo trabalho de equipe, sem precisar de uso da tecnologia.

bomba.jpg

– Bielsa e o Conhecimento das Regras!

Tendo 2 goleiros “disponíveis para o jogo”, você pode jogar com 3 “guarda-redes”, mas sendo 2 de linha numa única partidae por opção própria?

Maluquice?

Para o estudioso, workaholic e considerado louco por muitos, o treinador argentino Marcelo “El Loco” Bielsa, é uma situação possível!

Seu time, o Lille, foi protagonista de uma situação inusitada (de quem conhece as regras do futebol) no último domingo pelo campeonato francês, na derrota contra o Strasbourg (Placar: 0x3).

Aos 12 minutos de jogo, o ex-sãopaulino Thiago Mendes se machucou e foi substituído (Bielsa teve que “queimar” a 1a substituição“). Aos 19 minutos, Macuit também sofreu lesão e entrou o ex-santista Thiago Maia (Bielsa teve que “queimar” a 2a substituição). Aos 38 minutos (tudo no 1o tempo), El Loco (por opção tática) mudou completamente o time e substituiu o lateral Fode Ballo por um atacante.

Entretanto, aos 63 minutos de jogo, o goleiro Maignan agrediu um jogador do Strasbourg e foi expulso. Como já não poderia substituir ninguém, Bielsa colocou o centroavante Nicolas dé Préville como goleiro. Nesse interim, o atacante-goleiro defendeu um ataque difícil e sofreu um gol. Mas como o treinador faz jus ao seu apelido, sem poder fazer substituições e querendo vencer a partida, aos 82 minutos radicalizou! Reposicionou o atacante (que estava no gol) como jogador de linha novamente, e colocou no gol o zagueiro Ibrahim (que tomou outros dois gols).

Após o jogo, Bielsa deu a entrevista como se fosse um jogo normal dizendo que “não estava arrependido por realizar as 3 substituições nem pelas trocas de goleiro-linha”.

Louco ou não?

Em tempo – qualquer jogador pode trocar de posição com o goleiro e quantas vezes o treinador desejar, desde que o jogo esteja parado, o árbitro seja informado e use uma camisa de cor diferente para o diferenciar. A questão é: “é saudável tal revezamento de goleiros num único jogo”?

bomba.jpg

– O Pênalti inexistente em Gilberto no São Paulo 3×2 Cruzeiro

Não assisti o jogo, mas vi isoladamente o lance em que foi marcado pênalti ao Tricolor no São Paulo x Cruzeiro. E digo: errou o árbitro, pois Gilberto se joga ao perceber que será trancado.

Não é empurrão, não foi tranco ilegal no lombo, mas simulação.

Questione: Gilberto poderia ter continuado a jogada se quisesse se mantiver em pé.

Sim, ele podia. Por abdicar de tal condição, é tentativa de cavar o pênalti.

bomba.jpg

– Análise da Arbitragem de… ah, esquece!

Dando uma passada bem rápida na Internet, leio que o São Paulo venceu com um pênalti inexistente, que Cristiano Ronaldo foi expulso injustamente, etc, etc, etc.

Hoje não assisti (e nem assistirei) absolutamente nada! É dia dos pais, e não há nada no mundo mais prazeroso do que ter uma família.

Portanto, abdico das minhas costumeiras análises e desejo, mesmo que agora à noitinha, um feliz Dia dos Pais a todos!

bomba.jpg

minha família

bomba.jpg

minha caçulinha antes e depois do hospital

bomba.jpg

minha primeirinha sempre sapeca!


PARABÉNS A TODOS OS PAPAIS E VOVÔS!

– Quando o árbitro de vídeo é indevido: a Cáca contra Kaká

Por mais que se defenda o uso da tecnologia no futebol, ela não terá valia se o árbitro não for competente dentro e fora de campo.

Na MLS, jogaram neste sábado Red Bull NY x Orlando City. No final do jogo, há uma falta que gera uma certa discussão entre os atletas. O brasileiro Kaká vai separar Collin (ex-colega de time, seu amigo pessoal e que joga no clube adversário). O camisa 10 do Orlando põe a mão na boca do atleta sorrindo, brincando com o camisa 78 do New York. Tudo normal, tudo em paz.

Eis que o árbitro solicita o auxílio do vídeo e, depois de uma demorada consulta, resolver dar cartão amarelo para os dois jogadores adversários envolvidos na falta precedente à discussão e Cartão Vermelho ao Kaká. Collin, o “suposto agredido”, corre ao juizão avisando que ele interpretou errado, que estavam brincando e que seu adversário não o agrediu! Ainda assim o árbitro americano manteve a decisão.

Neste caso, a prova que fazer a leitura do jogo, interpretar as regras e tomar decisões não é para qualquer soprador de apito; muito menos para um telespectador de TV metido a árbitro…

Vídeo em: https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2017/08/13/kaka-faz-brincadeira-com-ex-colega-e-e-expulso-apos-uso-de-arbitro-de-video.htm?utm_content=geral&utm_campaign=twt-esporte&utm_source=t.com&utm_medium=social

bomba.jpg

– O Dinheiro do PRAB da CBF não poderia ser melhor gasto?

Em meio a tanta discussão sobre a qualidade da arbitragem brasileira e a necessidade de profissionalizar o quadro nacional, eis que uma notícia me deixa curioso: o investimento da CBF no PRAB (Programa de Renovação da Arbitragem Brasileira), onde Sérgio Correa da Silva e Manuel Serapião (sim, eles continuam sob o comando de Marco Polo Del Nero mesmo com a entrada do Coronel Marinho) ensinam jovens árbitros a respeito do conceito de “integração do trabalho da arbitragem”.

Tudo é válido para melhorar, mas me chama a atenção que o evento acontece em um resort de Águas de Lindoia, com árbitros indicados pelas Comissões de Arbitragem das seguintes federações: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba e Tocantins. Além deles, há o venezuelano Freddy Fernandes participando pela federação manauara, a qual pertence.

Cá entre nós: o critério de indicação foi qual? Se são do Centro Oeste, NO e NE, por que o evento no interior de SP por 10 dias? E os recursos financeiros dispensados são necessários ou deveriam ir para aprimoramento de quem está trabalhando nas outras divisões no quadro da CBF?

Vale a discussão se o dinheiro é bem ou mal gasto…

bomba.jpg