– Entendendo Lances de pé alto com base no Majestoso

Quando ouvimos falar de termos como solada, pé-alto, perna erguida e outros, lembramo-nos de pronto de “lance ilegal no futebol”. Mas será que isso realmente procede?

Vamos lá: tecnicamente, falamos em “jogo perigoso”. Se um atleta disputar a bola com a perna erguida, por exemplo, pode atingir um adversário e lesioná-lo. Se não atingir, o árbitro deve marcar tiro livre indireto, sem aplicação de cartão. Se atingi-lo, deve marcar tiro livre direto (não se pune com cartão, caso entenda que foi uma ação imprudente; aplica-se cartão amarelo, caso entenda-se jogada temerária; expulsa-se com o cartão vermelho, caso entenda força excessiva). Há ainda outra situação: quando dois atletas não se percebem, trombam e caem – aí é acidente de trabalho ou simplesmente  casualidade, não ocorrendo infração.

Mas o grande problema é: como entender se uma perna erguida é ou não jogo perigoso?

Li alguns comentários de torcedores querendo diferenciar uma disputa de bola com o bico da chuteira ou com a sola. Na verdade, o que se deve avaliar, independente de qual parte do pé: o risco de lesão.

Para fazer a avaliação, o árbitro deve considerar alguns fatores:

  • a- A bola está em que altura?
  • b- As pernas do jogadores estão erguidas ou não? Importante: um jogo perigoso pode ocorrer também no chão, com uma disputa de atleta que pratique um carrinho que atinja a bola com as travas, mesmo não atingindo o adversário.
  • c- Há disputa de bola ou o jogador está sozinho, sem levar risco a alguém?
  • d- A que distância os atletas estão para a disputa de bola?

O LANCE DE SÃO PAULO x CORINTHIANS, especificamente:

Na partida de ontem, a bola sobra para Alexandre Pato que está com a perna erguida. Já ter dominado ou não a bola será irrelevante para essa análise, já que a ação praticada na disputa deve ser levada em conta, e não o domínio efetivo. Ato contínuo, Rogério Ceni, que estava na disputa, chuta o pé do atleta corinthiano.

Vamos lá: se a bola estivesse no chão e ambos estivessem a disputando, logicamente pênalti inconteste e as nuances citadas não devem ser levadas em conta. Mas com a bola no alto, vale discutir:

1- Pato levanta a perna numa distância segura para disputa-la, ou, por estar em velocidade, deveria ser mais prudente e tomar cuidado para não levar risco ao goleiro são-paulino?

2- Rogério Ceni tenta atingir a bola e foi imprudente ao chegar atrasado e atingir o adversário, ou só o acerta pois a perna estava ainda levantada?

3- O principal ponto de discussão: Pato está com a perna erguida a uma distância segura ou não de atingir Rogério Ceni? E aqui você tem duas possibilidades, sendo que ambas são coerentes à Regra do Jogo:

3.1- Se você entende que a distância era suficiente para que Pato pudesse dar uma solada, ou toque, ou patada (não importa como) para tentar o domínio (independente se dominou ou não), então Pato não cometeu ilegalidade alguma e o chute de Rogério Ceni foi falta. Sendo na área, pênalti.

3.2- Se você entende que a distância era insuficiente para que Pato tentasse o domínio com segurança, então nesse instante deve-se marcar tiro livre indireto a favor do São Paulo FC, e a partir desse momento o jogo já está paralisado. Se Rogério Ceni o atingir ou não, não se pode marcar infração pois a partida estava parada (ou seria paralisada, caso o árbitro não tenha tempo de apitar o lance) por jogo perigoso. O pé alto precedeu o chute. Tal lance é como “pênalti em impedimento” – se um atleta está em impedimento, recebe a bola e antes do bandeira erguer seu instrumento o atacante sofrer uma falta do zagueiro, deve-se marcar tiro livre indireto contra a equipe do atacante, pois a partida já não valia mais no momento do chute do zagueiro (entretanto, devido a força do chute, o atleta pode receber a punição disciplinar e, curiosamente, até ser expulso com tiro livre a seu favor!)

Como se vê, as duas possibilidades explicadas em 3.1 e 3.2 serão escolhidas única e exclusivamente pela interpretação. O lance é difícil e não há absurdo na decisão ser uma ou outra.

Particularmente, entendi que houve infração de Pato; mas a outra decisão também é respeitável, como pudemos estudar.

O que não pode é relatar o lance como está na súmula do jogo: Segundo o árbitro, Rogério Ceni foi punido por “calçar o adversário”. Aí, não há imagem que mostre tal calço…

Sobre a análise da arbitragem da partida São Paulo 1 x 2 Corinthians, visite o link do Jornal Bom Dia / Diário de São Paulo, em:

http://www.redebomdia.com.br/blog/detalhe/18720/Analise+da+Arbitragem+de+Sao+Paulo+x+Corinthians

Ou no Blog Pergunte ao Árbitro:

http://pergunteaoarbitro.blog.terra.com.br/2013/03/31/empate-em-erros-capitais-na-vitoria-corinthiana/

Ou ainda no Blog de Contemporaneidades do prof Rafael Porcari:http://professorrafaelporcari.blog.terra.com.br/2013/03/31/empate-em-erros-capitais-na-vitoria-corinthiana/

imgres.jpg

E no lance acima, o que fazer?

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s