– Quarta-feira de Arbitragens Desastradas

Uma rodada ruim para a arbitragem nacional e internacional. Vamos lá?

Começando pela tarde/noite: que péssima atuação do árbitro espanhol Fernadez Borbalán, no jogaço Barcelona x Atlético de Madrid. Coitado, perdeu-se por completo com o nervosismo e a pressão do estádio. O time da capital bateu bastante (talvez por influência do seu treinador, o argentino Simeone?), embora estivesse bem armado em campo e com bons jogadores. Mas durante a partida inteira, atletas de ambas equipes tentavam cavar faltas e reclamavam de tudo para a arbitragem. Tanto que, em muitas faltas reais, não marcou; e em outras não existentes, marcou.

Um destaque negativo para a briga entre brazucas: Filipe Luís, lateral esquerdo do Atlético, disputava uma bola com Daniel Alves, lateral direito do Barça. Daniel deu um tapa na cabeça de Filipe, por trás, que revidou com o braço. O árbitro nada marcou e o lance seguiu, com Filipe agredindo seu compatriota. Porém, só houve expulsão do Filipe Luís pelo último lance.

Minutos depois, dois madrilistas tentam roubar a bola de Daniel Alves. O brasileiro Diego Costa a domina legalmente, Daniel se joga e o outro adversário lhe pisa nas costas. Era para expulsão, mas o árbitro marca falta de Diego Costa no tranco legal e ainda lhe dá amarelo!

Por fim, um lance meio atrapalhado de Miranda sobre Pedro, que resultou em pênalti. Eu não marcaria, pois pelas imagens, vê-se Pedro já desequilibrado quando Miranda tropeça e cai sobe ele.

No Estádio Independência, o goiano recém-chegado à FIFA Wilton Sampaio (olha ele aí de novo…)pecou por duas vezes em lances capitais: no primeiro tempo, na entrada da área, Bolívar parou Fernandinho numa situação clara de gol. Pra mim, lance para Vermelho, mas o árbitro não entendeu que era uma oportunidade de gol e deu Amarelo. O outro lance reclamado foi o pênalti em Jô, no 2o tempo, realmente ocorrido (e com clareza), mas não marcado.

Porém, Alexandre Kalil, presidente do Galo, esbravejou (e muito!) depois da partida, contra tudo e contra todos:

A verdade é que no Rio de Janeiro não precisa pagar salário, botam um engravatado no meio daqueles babacas lá da CBF para ele vir fazer o que fez hoje. Para que pagar salários? Estão com quatro meses de salários atrasados, vão entrar em greve na semana que vem. Esse [árbitro] é um vagabundo, ladrão (…) Esse Tonhão [Antonio Pereira da Silva, presidente da CA] devia pegar o bonezinho e ir embora, porque a arbitragem brasileira piorou depois da saída do Ricardo Teixeira“.

Rever, em contrapartida ao seu presidente, disse:

Se errou, faz parte”.

Já no Serra Dourada, o Goiás venceu o Fluminense com um equívoco no segundo gol: Walter, o atacante goiano que vem fazendo sucesso pelos seus gols e pelo visível porte físico avantajado, deu um verdadeiro “chega-pra-lá” com seu forte corpanzil no adversário, numa claríssima falta. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira estava longe da jogada, perdeu o tempo do lance e nada marcou. Walter conseguiu armar o time e a jogada resultou no gol. Porém, o treinador do time carioca Wanderley Luxemburgo reclamou bastante e até deixou no ar um suposto esquema:

Eu tenho uma experiência muito grande e tenho que falar algumas coisas, não é jogar culpa nele. Eu tenho uma pessoa dentro do futebol que é meu inimigo, que é o ex-presidente da Comissão de Arbitragem, o Sérgio Corrêa, já discutimos bastante. Acho que o Paulo César e o Luiz Flávio, que não saem da casa do Sérgio Corrêa, são muito amigos, sempre quando eles apitam me preocupa muito”.

Em Porto Alegre, lance dificílimo mas marcado corretamente pela arbitragem na partida Grêmio x Santos: Maxi Rodriguez ataca, cruza para Werlei que marca o segundo gol dos gaúchos. O detalhe é que no visual parece que há 3 jogadores em impedimento passivo e Werlei num possível impedimento ativo. Só que o detalhe principal: Maxi avançou o suficiente e a bola foi cruzada em mesma linha (ou levemente para trás), validando o lance. Parabéns ao árbitro Felipe Gomes da Silva.

Como não vi Atlético Paranaense x Palmeiras nem Corinthians x Luverdense, nada posso comentar sobre a arbitragem (apenas a curiosa manchete de um site especializado que Kleina pode cair, sendo que até ontem o treinador palmeirense era elogiado…). Mas o gozado é: no Mineirão, se fala sobre favorecimento a carioca. Mas em Goiás, o prejudicado é carioca. E aí???

Deixe seu comentário:

ApitoCartoes.png

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s