– Análise da Arbitragem de São Paulo 3 x 0 CRB

Críticas para o trio de arbitragem no jogo de volta da Copa do Brasil. Vamos a elas?

A bela assistente 1 Fernanda Uliana foi muito mal, errando lances fáceis de impedimento. Sobrou na frente, levantava a bandeira… Precipitação total. E olha que a moça foi promovida para o quadro de aspirantes da FIFA na semana passada. É a tal da indicação que traz dúvida da real meritocracia: com apenas 23 anos e sendo muito bonita, sua competência é tanta assim para ser indicada à relação internacional de árbitros?

O assistente 2 Hilton Nunes também errou dois lances de impedimento, estes bem mais difíceis do que o da assistente 1. Foram erros aceitáveis.

Já o árbitro Ronan Marques da Rosa teve boa atuação nos momentos tranqüilos da partida, mas com 3 lances pontuais que destoaram negativamente. E neles, se equivocou por um único motivo: oexcesso de proximidade da jogada! O juizão quis estar tão perto dos lances, que não conseguia ter uma boa visão das divididas por estar quase dentro dela!

No começo do jogo, Luís Ricardo é desequilibrado com um leve toque na área, quando seu adversário tenta roubar a bola. Pênalti. Mas o jogador nem reclama e insiste na jogada. Se fosse no meio campo, é falta pelo toque que aconteceu sem aplicação do cartão amarelo. Se existisse um AAA naquela posição (na Copa do Brasil não há esse árbitro adicional), penso que o lance teria sido marcado.

Ainda no primeiro tempo, Luís Fabiano sofre um claro pisão no pé, lance típico para Cartão Amarelo.Mas o árbitro estava tão grudado com os atletas que perde a noção da força da dividida sola-pé praticada pelo atleta do CRB. E esse é o problema: estar tão perto do lance faz você perder a real impressão da profundidade, da força e da intenção da jogada. Errou também.

O lance mais discutível: o pênalti em Ademilson no segundo tempo! Sim, outro erro do árbitro, mas este perdoável. A simulação do sãopaulino é perceptível após vários replays! No “ao vivo”, dentro de campo, é difícil o árbitro perceber o unfair-Play. O goleiro Julio César se joga para tentar pegar a bola e Ademilson estica a perna para ser atingido pelo goleiro, que não o atinge mas dá-se a entender que o acerta pela queda no exato momento de um possível toque que foi inexistente.Artista puro! Porém fica novamente a observação: o árbitro Ronan Marques da Rosa estava perto demais do lance; prova disso que ele apita o pênalti e tromba (sim, repare nesse detalhe) no arqueiro Julio César.

Apesar dessas 3 situações, é claro que a arbitragem não influenciou. O árbitro pareceu tem boas qualidades e, quero crer, foi uma noite para a sua assistente esquecer.

Em tempo: Raphael Claus apitará domingo São Paulo x Corinthians pelo Brasileirão, mas a CBF também o escalou ontem (como 4o árbitro) para São Paulo x CRB pela Copa do Brasil. Não deveria estar em casa descansando do dia de trabalho e se preparando para domingo? Só tinha ele para ser quarto árbitro do jogo do time que ele apita na rodada seguinte?

A Comissão de Árbitros peca com esses detalhes…

Ops: para a rodada 4, completaremos 40 jogos do Brasileirão, sendo que em todas as partidas, apenas 4 escalas com árbitros paulistas – 1 de Luiz Flávio de Oliveira e 3 de Rafael Claus.

Acabou a arbitragem de São Paulo mesmo?

Por estado, estamos ficando para trás na política de escalas. Vide o artigo que escrevemos recentemente: http://professorrafaelporcari.blog.terra.com.br/2014/05/04/arbitros-de-todos-os-estados-o-absurdo-e-valido-ou-nao/

107376.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s