– Análise da Arbitragem de Paulista 3 x 0 União Barbarense. Como foi o juizão?

Segunda vitória do Galo Tricolor na Copa Paulista. Será que o time manterá o embalo?

Tomara! Mas vamos falar do que gostamos: a arbitragem do jogo. Como foi a atuação do trio escalado no Jayme Cintra nesta 4a feira a tarde?

O árbitro Luciano Alves de Lima teve boa atuação.

TECNICAMENTE – Acertou nos principais lances, em especial aos 57m, quando o centroavante Fred sente a marcação de Malcon por trás e se joga dentro da área. Lance idêntico ao que o seu homônimo protagonizou na estréia da Seleção Brasileira contra a Croácia e o japonês Nishimura “entrou”. Luciano, mais esperto, percebeu a simulação. Porém, inverteu duas faltas – uma para cada equipe, aos 51 e 52 minutos (Lennon x Neto e Kallyl x Fred), sem implicações maiores.

DISCIPLINARMENTE – nesse item, elogios e ressalvas: foram 5 amarelos e 1 vermelho. O jogo começou fácil, sem faltas; tanto que aos 40 minutos tínhamos apenas 8 infrações. Mas no total do jogo, elas aumentaram e tivemos 26 ao todo! Foram 9 cometidas pelo Paulista (que recebeu 3 Amarelos) e 17 da Barbarense (que recebeu 2).

Dois belos acertos: a advertência a Luís Gustavo Rato aos 40m, que após o apito de uma falta marcada, indisciplinadamente deu um bico na bola para longe; e a expulsão incontestável do zagueiro Danilo Borges após matar um contra-ataque de Eric Mamadeira, puxando-o pela camisa e impedindo que ele ficasse na cara do gol somente com o goleiro Douglas. Porém, pecou em não coibir a contento Eli Oséas, zagueiro no. 3, que cometeu 6 faltas na partida. Aliás, faltou aplicar Amarelo ao Eli aos 35m do 1o tempo por agarrar Mamadeira; já aos 39m o mesmo Eli recebeu o Cartão por falta no lado direito em cima do mesmo Mamadeira. Se tivesse recebido a advertência 4 minutos antes…

FISICAMENTE – Se posicionou bem no gramado e correu bastante. Nada a contestar.

A bandeira Luciana da Silva Ramos não foi exigida, mas participou atentamente de dois lances curiosos: as reversões de um lateral cobrado pelo Paulista e de outro da Barbarense, coisa que não se costuma ver no futebol profissional … Sinais dos tempos?

O bandeira Eduardo Augusto Borges (de apenas 25 anos) marcou vários impedimentos com correção; porém, o 1o do segundo tempo, errou. Lance difícil e no qual foi atrapalhado pelo sol que lhe acertava o rosto.

O quarto árbitro Roney Bustamante não teve trabalho. Mas faço uma observação: com tantos jogos pela FPF, 45 anos de idade e às vésperas da aposentadoria, é desagradável ser escalado em tal função. Pisada na bola de quem o escalou…

E você, gostou do jogo? Deixe seu comentário:

10584052_768043589926840_1939583482823350439_n.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s