– Juiz de Futebol tem time do Coração?

Não tem; ou melhor, teve no passado.

Tinha. Tivera. Não tem mais.

A qualquer árbitro de futebol que lhe for perguntado sobre o seu time de coração, teremos uma mesma resposta: “Eu tinha um time quando era criança, hoje meu time é a arbitragem”.

E é bem por aí mesmo. Juiz não torce para time X ou Y, torce para ele mesmo, a fim de que seu trabalho o ajude em vôos mais altos, que se resumem em chegar a FIFA e a Copa do Mundo.

Claro, no imaginário do torcedor mais exaltado (e entenda por “exaltado” o termo “fanático”) passam coisas pré-jogo como:

– “o árbitro é flamenguista e vai entrar em campo para prejudicar o time vascaíno”;

ou, pós-jogo:

– “ele só deu pênalti para o Internacional-RS pois é colorado”.

Digo isso pois alguns trolls (aquele tipo de internauta que cria situações, factoides ou tumultos) colocaram nas redes sociais imagens antigas de Guilherme Ceretta de Lima (árbitro da final entre Santos x Palmeiras) no Instagram, em um bate papo com Rafael Cabral, ex-goleiro santista, falando de uma “comemoração” (em publicação de anos atrás).

Pronto! Criou-se o vínculo de que Ceretta supostamente é torcedor do Santos. Uma das comunidades palmeirenses criou um meme com a manchete “Santista Ceretta apitará Santos x Palmeiras”. Há outros mais afoitos dizendo que esta mensagem foi após se divulgar a escala de domingo!

Ora, tenha a santa paciência, não vale a polêmica. Ceretta é de Votorantim, cidade vizinha de Sorocaba, terra de Rafael Cabral, hoje no Nápole. São interioranos que se conhecem, e a foto que circula é de 2010 ou 2011 (repare que não há data), remetendo a um bate papo do aniversário de familiares…

O problema é que, sem querer, o árbitro (que é uma pessoa pública) ganha a fama, involuntariamente, de santista; coisa que ele não é, nem foi.

Quem milita no meio da arbitragem (e eu militei como árbitro por 16 anos), ri da preocupação de torcedores em saber qual time o árbitro torce, como se ele, árbitro, fosse torcedor também!

É inevitável e inegável que todo juiz de futebol, quando criança, torcia por algum time. Mas você não consegue levar isso aos gramados! O “encanto” se quebra na primeira falta reclamada do time que outrora foi o seu.

Há 21 anos, quando pela 1a vez trabalhei em um jogo Sub 15 da equipe que eu torcia na infância, tinha a preocupação de saber se eu separaria as coisas. E me assustei! É como tratar um amigo de longa data como desconhecido nos primeiros minutos. Depois você não se impressiona mais com ele. E, ao término do jogo, você está “batizado” dessa situação, incólume.

Como você vai torcer para um time que reclama das suas marcações? Um chute no ar de Valdívia, um gol de Guerreiro, uma falta cobrada por Rogério Ceni ou uma pedalada de Robinho não lhe dão mais prazer algum; o que vale é apitar corretamente o pênalti, amarelar uma simulação, expulsar um botinudo!

REPITO e INSISTO: a menor das preocupações de torcedores é com a cor da camisa que o árbitro torcia quando criança.

E por que Ceretta, Claus, Luiz Flávio ou outro qualquer não divulgam para quem torciam? Por motivos óbvios, ué! Vide os jornalistas que assumem serem torcedores de alguém: mesmo sendo profissionais em seu ofício, são obrigados a aguentar a trollagem e a desconfiança de fanáticos – e isso enche o saco! Se sem se assumirem os árbitros já são vítimas disso, imagine declarando? Além disso, em um Brasil de educação tão pobre, veríamos os bandidos que se travestem de “torcedores” e que aterrorizam estações de metrô, ruas e praças públicas ameaçando a vida de árbitros, desnecessariamente.

Uso o exemplo do meu humilde blog: quando comento um lance de erro de arbitragem a favor do Corinthians, sou chamado de palmeirense; se a favor do Palmeiras, viro são-paulino; assim como já virei corinthiano, santista…

É por isso que admiro os EUA: lá o cara se assume democrata ou republicano e nem por isso tem a vida contestada. Nem sofre com fanáticos pseudo-torcedores…

O meu medo é que aconteça a mesma pressão ocorrida com o árbitro Thiago Duarte Peixoto, que às vésperas do Derby Paulistano teve uma foto de doação de camisa do Corinthians ao Hospital do Câncer de Barretos exposta como se fosse um torcedor apaixonado. Se Ceretta errar a favor do Santos, a foto seria a prova de quem o acusa! Se errar a favor do Palmeiras, será porque quis provar que não era!

Durma-se com um barulho desse. Ô vida de árbitro… se já não bastasse a patrulha que fazem sobre suas atividades profissionais fora da arbitragem alegando incompatibilidade (Ceretta é modelo fotográfico e tem uma confecção), ainda essa!

Desejo boa sorte a ele, já elogiado e criticado nesse espaço. A propósito, sobre sua escala falamos nesse post: http://wp.me/p55Mu0-qt .

bomba.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s