– Análise de 7 lances de dificuldade em Flamengo 2×1 São Paulo

Elogiei por diversas vezes a arbitragem de Anderson Daronco, árbitro gaúcho da FIFA. Mas no Maracanã, neste domingo, quando foi um pouco mais exigido, decepcionou. Vamos a 7 lances de dificuldade para analisar erro ou acerto?

1- Aos 7 minutos, Sheik (FLA) faz falta leve em Bruno (SPFC), o árbitro manda seguir e na sequência Bruno divide com Sheik. Daronco resolve marcar a falta para o Flamengo e dá Cartão Amarelo para Bruno, errou pela 1a vez.

2- Aos 35 minutos, Luiz Eduardo (SPFC) sobe para cabecear e fazer o gol, usando a mão para apoiar e consequentemente empurrar o adversário número 4. Leve empurrão, mas é falta. Gol irregular, errou pela 2a vez.

3- Aos 42 minutos, Guerrero (FLA) vai dividir com Luiz Eduardo (SPFC), o desloca usando irregularmente o corpo, a bola sobra para Thiago Mendes (SPFC) que erra e deixa para Ederson (FLA) fazer o gol de empate. É o 3o erro do árbitro.

4- Aos 51 minutos, após cruzamento de Auro (SPFC), a bola bate sem intenção no braço de Everton (FLA). Não é falta, mas o árbitro entende como intenção e marca. Errou de novo, é o 4o erro.

5- Aos 54 minutos, Auro (SPFC) cruza para Centurión (SPFC), que cabeceia mas a bola é interceptada pelo antebraço de Samir (FLA) sem intenção. Ufa, em lances difíceis, 1o acerto importante do árbitro.

6- Aos 62 minutos, Carlinhos desce em velocidade e seu adversário número 22, Everton (FLA) dá um carrinho certeiro que o atinge, quase na entrada da área. O árbitro manda seguir. Erro crasso, o 5o do jogo.

7- Aos 85 minutos, Carlinhos está no ataque, parte para o gol e Everton lhe faz falta por trás, atingindo-o certeiramente. É lance para Cartão Vermelho, não para Amarelo, como aplicou. Foi o 6o erro no jogo.

Em suma, não gostei da arbitragem, com erros importantes para as duas equipes.

bomba.jpg

– Análise da Arbitragem de Paulista 1×0 Barueri, Copa Paulista, Rodada 6

Boa arbitragem no Estádio Jayme Cintra na vitória do Galo sobre a Abelha. Vamos falar dela?

Diante 644 pagantes, com renda bruta de R$ 5.160,00 + (mas renda líquida negativa de R$ 3.227,00), tivemos um jogo fácil de se apitar, com alguns detalhes importantes a se comentar:

TECNICAMENTE, o árbitro Douglas Marcucci foi muito bem. Soube marcar bem as faltas e principalmente não entrar na onda das simulações. Em especial, Jáder, que por 3 oportunidades tentou ludibriar o árbitro: se jogou na área aos 15m, caiu em disputa de bola aos 23m e novamente aos 24m. Ainda bem que aos 26m, quando realmente ele sofreu falta, o árbitro marcou e saiu o gol de Serrano.

DISCIPLINARMENTE, muito bem. Todos os cartões foram bem aplicados (3 ao Paulista e nenhum ao Barueri, 15 faltas do Paulista e 13 do Barueri).

FISICAMENTE, esteve em cima dos lances. Sentiu um pouco o forte calor ao final da partida, mas nada que comprometesse.

Um erro: no final do segundo tempo, Felipe Diadema dividiu uma bola no meio de campo com Moreno, não foi falta (a impressão é que ele chuta o chão). O jogador ficou caído, lesionado, a bola saiu para a linha de fundo e na parada o árbitro não permitiu o atendimento. O goleiro colocou a bola para fora e só aí houve a entrada da maca. Deveria ter permitido o atendimento quando a bola saiu no tiro de meta.

Enfim, nada que influenciou o resultado.

E você, o que achou do jogo? Deixe seu comentário:

bomba.jpg

– O que falar do “pênalti do gramado” de Lucas Lima em Santos 5×2 Avaí?

Nesta Rodada 20 do Brasileirão, visando melhorar o nível da arbitragem e diminuir as reclamações, a CBF escalou em todos os jogos 2 observadores e 2 “Quartos-Árbitros”. Mas os erros continuaram os mesmos…

Na Vila Belmiro, na boa vitória do Santos por 5×2 contra o Avaí, Lucas Lima atravessou o meio campo, entrou na área, escorregou no gramado e… não é que o árbitro Leandro Pedro Vuaden (que fazia um bom jogo até então) marcou pênalti?

Não foi nada. Ninguém o tocou. No interior, chamamos isso de “trupicão”! E o santista, após o jogo, declarou:

“- Não sei o que foi. Alguma coisa me desequilibrou e aí eu caí”

Eu respondo: foi a grama que o desequilibrou…

Mesmo com 2 observadores, árbitro, 2 bandeiras, 4o e 5o árbitro, ninguém foi capaz de perceber que o lance foi um mero escorregão?

Em um mundo ideal, utópico e sonhado, Lucas Lima deveria se levantar e dizer: “Vuaden, me desculpe, eu escorreguei sozinho. Você foi traído pela minha queda no lance”.

Claro que não veremos nada disso…

bomba.jpg