– Os Homens da Seleção Feminina de Futebol do Irã!

Que várzea!

O Irã é um regime teocrático, onde existe um presidente eleito pelo povo mas subordinado às leis de Alá.

Isso é cultural, não se deve discutir mas respeitar. O problema é que algumas interpretações do Alcorão impressionam, vide o tratamento dado às mulheres.

A FIFA autorizou o uso de véus em competições esportivas, já que era uma reinvindicação de países islâmicos. Em especial, ao futebol feminino, onde os estádios proíbem que homens assistam partidas entre mulheres (seja de qual esporte for).

Lá, o homossexualismo é crime (civil e religioso). Em tese, homem e mulheres tem as preferências sexuais bem definidas heteressexualmente falando.

Mas não é que a Seleção Feminina de Futebol do Irã foi denunciada por golpe? A rede de TV “Al Arabiya News” trouxe à tona que a equipe de mulheres possui, na verdade, 8 homens disfarçados em seu elenco!

Xiii… Sem comentários. E se o árbitro descobrisse isso durante o jogo?

Dê uma olhada na foto das moças abaixo (em especial, as que estão em pé):

Em: http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/brasil-mundial-fc/post/selecao-feminina-do-ira-e-suspeita-de-ter-homens-no-elenco.html

SELEÇÃO FEMININA DO IRÃ É SUSPEITA DE TER HOMENS NO ELENCO

A seleção feminina do Irã enfrenta um momento turbulento. Oito jogadoras da equipe foram acusadas de, na realidade, serem homens. A informação foi divulgada pelo canal de TV  “Al Arabiya News” na última segunda-feira. Os nomes não foram revelados.

– (Oito jogadoras) têm jogado com a seleção feminina do Irã sem completar o processo de troca de sexo – disse Mojtabi Sharifi, um oficial próximo à Liga iraniana de futebol durante uma entrevista ao site Young Journalists Club.

Em 2014, o jornal britânico “The Telegraph” já havia feito uma reportagem em que denuciava que quatro atletas da seleção iraniana eram homens.

A direção do comando do futebol no Irã não se manifestou sobre a nova denúncia.

bomba.jpg

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Nacional x Paulista

Luiz Carlos Ramos Junior apitará Nacional x Paulista. Se na última semana criticamos o fato da FPF colocar árbitros de pouca experiência sistematicamente em jogos do Galo, agora ela atende o pedido.

Conhecido entre os árbitros pelo apelido de “Smiggle” (personagem do filme Senhor dos Anéis), com apenas 2 anos de carreira Luiz foi puxado à categoria Ouro da FPF, quando o Cel Marcos Marinho criou o ranking dos árbitros, apitando rapidamente a 1a Divisão. Dois anos depois, foi colocado na Categoria Prata e hoje apita jogos da 4a Divisão, A3 e eventualmente A2.

É razoável tecnicamente, não corre muito em campo e evita aplicar cartões, embora apite muitas faltas. Pessoa boníssima, tem ainda 36 anos de idade e pode voltar à A1 com o tempo.

Márcio Jacob, de muitos jogos na série A1 e bom tecnicamente, será o assistente 1. Renata Ruel a assistente 2. Daniel Sotille o 4o árbitro.

Desejo boa sorte ao Quarteto de Arbitragem!

bomba.jpg

– Daronco e Claus: orientações que os atrapalham?

Quem se expõe mais, corre o risco de ser mais criticado! E é justamente o que está acontecendo com os dois árbitros que mais apitam (e que julgo fazem as melhores arbitragens neste Brasileirão), o gaúcho Anderson Daronco e o paulista Raphael Claus.

Ambos árbitros estão sendo escalados, ops, digo, sorteados à exaustão. Estão na TV quase toda 4a e domingo (ou 5a e sábado), seja na série A, B ou Copa do Brasil (mas se a bolinha quiser, cairá na C e na D também).

O fato é: defendo sempre que o árbitro tenha regularidade nas escalas, ritmo de jogo e constância. Me preocupa a falta e o excesso de escalas.

Prova disso são as críticas sobre Claus e Daronco nas arbitragens de Joinvile X Atlético Mineiro (sob deixar a violência imperar) e São Paulo x Palmeiras (a não expulsão de Prass e a não vantagem a Rafael Marques).

O árbitro pode atuar 29 jogos muito bem, mas se vai mal no 30o, será criticado como se nada antes valesse.

Mas há de se entender porque se erra, mesmo com competência: aqui, os árbitros devem se submeter a orientações que podem trazer uma certa ilusão: a de preencher estatísticas de jogo.

É.

A Comissão de Árbitros quer bola rolando, fazendo (equivocadamente) vista grossa a supostas “faltinhas”. Ora, marcar falta é do jogo; ninguém deve dar aquela “suposta falta leve cavada de alguns jogadores malandros” (detestadas na Europa), mas as faltas reais, sejam violentas ou não, têm que ser assinaladas. Isso explica as críticas ao estilo adotado por Claus na última rodada. O árbitro obrigatoriamente tem que apitar do jeito que a CBF quer, para, depois, ela se gabar que há poucas faltas e o tempo de bola rolando aumentou…

Daronco está na mesma linha. Pior: tem errado por leitura de jogo (mesmo não sendo essa a sua característica). Seria má orientação? Talvez!

São ótimos árbitros e repito: os melhores que estão atuando, à frente de Meira Ricci, Luiz Flávio, Hebert, Ricardo Marques e tantos outros. Mas para que não se percam, assim como jogadores precisam de grandes treinadores, árbitros carecem de grandes orientadores. E Sérgio Corrêa não me parece o nome ideal no momento.

Em tempo: cadê o “árbitro de vídeo à paisana”, que tanto fez em lances duvidosos de auxílio aos bandeiras em Chapecó (Chapecoense X Fluminense) e em Florianópolis (Figueirense X Santos)? Nessa rodada ele não atuou?

Lá em SC dá para “soprar a dica” ao bandeira, mas no Morumbi não dá? A propósito, se fosse oficializado o árbitro de vídeo, quanto tempo se levaria para decidir ou corrigir os equívocos de lances no último Choque-Rei?

bomba.jpg

– Os 3 Lances Capitais para São Paulo 1×1 Palmeiras

Selecionei alguns lances do Choque-Rei deste domingo. Vamos discuti-los?

LANCE 1) 12m – Uma bola é lançada ao atacante são-paulino Rogério. O goleiro Fernando Prass corre para se antecipar, sai da área e toca na bola. A bola ainda cai nos pés do atacante que erra o chute. Aqui, algumas considerações:

– lance muito rápido. Em um primeiro momento, pensei que Prass havia tocado com a mão na bola em cima da linha (portanto, lance legal, pois não importa se o restante do corpo está fora da área). Entretanto, uma imagem da Sportv flagrou o toque de mão fora da grande área. Sendo assim, duas interpretações do árbitro:

  1. Prass atrapalhou a jogada usando as mãos fora da área, impedindo o domínio de um atleta numa situação clara e manifesta de gol. Portanto, falta e cartão vermelho (essa é a minha interpretação também). Erro do árbitro e do bandeira.
  2. Prass tenta atrapalhar a jogada, o árbitro dá a vantagem e o atacante do São Paulo a desperdiça por deficiência técnica. Como ele não evitou um gol (já que o gol foi perdido pelo atacante por “ruindade” dele próprio não sabendo aproveitar uma suposta vantagem), não se deve falar em cartão vermelho. Portanto, tiro de meta e cartão amarelo (não sou partidário dessa interpretação).

LANCE 2) 23m – Rogério faz um gol em posição de impedimento. Marcelo Van Gassen, o bandeira, acertou.

LANCE 3) 47m – Mateus Reis puxou Gabriel de Jesus. Imediatamente o árbitro apitou a falta e “matou” a vantagem palmeirense com Rafael Marques (o chute do atacante ao gol já acontece com o jogo parado). Isso se chama “erro de leitura de jogo e precipitação”. Errou o árbitro.

E você, gostou da arbitragem? Deixe seu comentário:

bomba.jpg

– Lances que Mereciam Cartão Vermelho ou não?

Na rodada do último final de semana do futebol mundo afora, 3 lances chamaram a atenção pela violência. Avalie se os atletas deveriam ser expulsos ou não:

1) Carlos Tevez (Boca Juniors) x Ezequiel Ham (Argentinos Jr). Carlitos deu uma entrada violentíssima no adversário, que fraturou a tíbia!

Veja em: http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/futebol-argentino/noticia/2015/09/tevez-lamenta-fratura-em-adversario-irei-encontra-lo-e-pedir-perdao.html

2) O português e jovem promessa André Silva, atacante do Porto B, sofreu uma fratura exposta! A imagem é forte, está em: http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/brasil-mundial-fc/post/revelacao-portuguesa-sofre-fratura-feia-apos-sofrer-entrada-criminosa.html

3)Felipe Melo deu uma cotovelada no seu adversário pelo campeonato italiano. Coisa corriqueira? Em: http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/futebol-italiano/noticia/2015/09/tecnico-rival-reclama-de-cotovelada-e-felipe-melo-se-defende-jogue-tenis.html

O excesso de jogo brusco grave, a “pilhagem” e tantas outras coisas ruins estão matando o prazer em apitar e assistir futebol.

bomba.jpg

– Série “Máfia do Apito” – ESPN BRASIL

Na semana em que o Brasil relembrou os 10 anos da Máfia do Apito, o grave escândalo protagonizado por Edilson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon, a ESPN Brasil produziu uma série de 3 capítulos. Tive a oportunidade de participar do 1o e do 2o episódio.

Você se impressionará ao ver como os árbitros estão hoje, a frase de Danelon de que foi “95% Santo” e a “Aula de Arbitragem” de Edilson, que vive da aposentadoria da mãe.

Abaixo, compartilho:

Ep 1: http://espn.uol.com.br/video/544909_10-anos-da-mafia-do-apito-conheca-a-origem-do-esquema-por-que-arbitro-fifa-se-envolveu-e-como-tudo-foi-descoberto

Ep 2: http://espn.uol.com.br/video/545187_10-anos-da-mafia-do-apito-da-prisao-ao-recurso-que-ainda-aguarda-julgamento-veja-como-estao-os-envolvidos-no-escandalo

Ep 3: http://espn.uol.com.br/video/545549_10-anos-da-mafia-do-apito-banido-do-futebol-edilson-volta-a-apitar-um-jogo-e-reclama-de-levir-em-palestra

Compartilho meu testemunhal no blog, texto em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2015/09/23/10-anos-da-mafia-do-apito-e-os-bastidores-que-vivi/

Abaixo, a sequência de capítulos direto do Site:

 

– Como a ANAF impedirá as transmissões da Globo?

A ANAF (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol) insiste em querer 0,5% de direito de imagem, e critica o veto da presidente Dilma.

Pedir, pode. Levar, é outra história (aliás, foi pedido inicialmente 5%).

Tudo é muito confuso: o chefe da ANAF, Marco Antonio Martins, trabalha para a CBF como observador. É sindicalista a serviço do patrão durante os jogos, o que, particularmente, é incompatibilidade dos cargos (e aqui não julgo sua honestidade, mas a função exercida).

Defender que a milionária CBF profissionalize os árbitros remunerando-os e pagando 13o, FGTS, INSS e Férias, neca de pitibiriba. Brigar contra as geladeiras e a péssima gestão de Sérgio Correa da Silva, idem (a propósito, é Sérgio quem escolhe os observadores… aí fica difícil!).

Agora, a entidade quer proibir na Justiça que a Rede Globo mostre a imagem dos árbitros, já que nada recebe da emissora. Conseguirá? Como ficariam as transmissões?

Tudo isso se resume em: “diálogo flácido para acalentar bovino”! Ou, se preferir: “conversa mole para boi dormir”.

Você acredita que a Globo apagará virtualmente a imagem dos árbitros durante as partidas ou se está desviando o foco de outros problemas na CBF?

Deixe sua opinião:

bomba.jpg

– Análise da Arbitragem Pré-Jogo para Paulista x Rio Branco

Rafael Gomes Félix da Silva, Professor de Educação Física, apitará o confronto do Galo contra o Tigre na Copa Paulista. Jovem (32 anos), apitou algumas partidas da A3 e 3 jogos da A2. Esteve no Jayme Cintra como 4o árbitro na derrota do Paulista contra o Guarani neste ano.

Sua principal característica é o ótimo condicionamento físico, estando sempre próximo das jogadas. Não costuma dar muitos cartões e gosta de jogo corrido. Guardada as proporções, lembra (pelo porte físico e estilo) o árbitro da A1 Marcelo Aparecido Ribeiro.

Osvaldo Apipe de Medeiros Filho, Policial Militar, com experiência em série A1 e Leandro Almeida dos Santos, Vigilante Privado, com experiência em A2, serão os bandeiras.

José Guilherme Almeida e Souza, Contabilista, será o 4o árbitro.

Novamente uma crítica: mais uma vez temos um quarteto de arbitragem com pouca experiência no Jayme Cintra. Mas em Penápolis, para Penapolense x Nacional, teremos Thiago Scarascati, revelação da série A1 neste ano.

Qual o critério de escalas, dona FPF?

Gostaria que no próximo jogo do Galo tivéssemos também um árbitro de Primeira Divisão. É pedir muito, Coronel Marinho?

Ficarei esperando.

bomba.jpg

– Você daria pênalti em Gabriel de Jesus no Internacional 1×1 Palmeiras?

Esse lance parece fácil, mas não é: o atacante palmeirense Gabriel de Jesus finta o goleiro colorado Alisson que o toca e o camisa 33 cai.

Pênalti?

Sim, pênalti não marcado pelo árbitro Sandro Meira Ricci. Mas aqui o juizão foi iludido pela seguinte situação: Gabriel se mantém em pé, tenta o equilíbrio e não consegue, caindo “desengonçado”. Perceba que ele desaba como se estivesse simulando com a outra perna, o que não retrata a verdade! Ele sofreu a penalidade e tentou a continuidade da jogada.

Portanto: lance difícil para a arbitragem em pênalti não marcado.

bomba.jpg

– Figueirense 0x1 Santos e mais uma Anulação Tecnológica?

Há dois meses, na partida entre Chapecoense x Fluminense (vide em: http://wp.me/p55Mu0-u7) um gol foi concedido e, após um súbito arrependimento do bandeira que houvera confirmado o gol, anulou-se o mesmo. Na época, discutiu-se a possibilidade de que a arbitragem tivesse recebido interferência de fora do campo de jogo.

Agora, também no estado de Santa Catarina, terra de Delfim Peixoto, um dos vices de Marco Polo Del Nero na CBF, outro gol é confirmado e estranhamente anulado (supostamente por interferência externa). Vamos à ele?

Em Florianópolis (FIG 0x1 SAN), o atacante Gabriel (em posição de impedimento) recebe a bola após o tiro livre direto cobrado por Lucas Lima e faz o gol.

Quando o jogo estava para ser reiniciado com as equipes posicionando-se, o árbitro Anderson Daronco foi chamado pelo assistente Alessandro da Rocha Matos, e após a conversa, o gol anulado.

Por quê não o fez de imediato?

Qual foi o arrependimento ou remorso posterior ao gol?

Tanto árbitro e bandeira, em um primeiro momento, deram o gol. Será que Alessandro da Rocha Matos não tinha visto a participação ativa de Gabriel, e por acreditar que ele não tica tocado na bola, considerou gol de Lucas Lima?

A desculpa será essa!

bomba.jpg