– SCCP 1×0 XV de Piracicaba: Entendendo o Gol do Corinthians à Luz da Regra do Jogo

Para alguns, um jogador que estava impedido e aproveita uma sobra do ataque da sua equipe e faz o gol deve ser sancionado. É natural que isso aconteça, pois o que menos se lembrará no exato momento é o nascimento de uma nova jogada no mesmo lance de jogo e que pode ser impedimento mesmo ou não!

Confuso?

Sim, afinal as Regras do Futebol não são tão claras assim (ou bem explicadas) como se popularizou.

Vamos ao lance reclamado pelo XV de Piracicaba e que determinou a vitória do Corinthians em Itaquera:

A bola é lançada por Rodriguinho ao ataque do Corinthians. Romero está em posição de impedimento – mas só estará “impedido de fato” quando o árbitro atender ou não a sinalização do bandeira, se ele a fizer por entender que participou ativamente da jogada. Para que isso se concretize, Romero deve dominar a bola, o que não acontece, pois Elias vem em condição legal e participa da jogada. Este “participar de Elias” faz nascer uma nova situação comparativa de impedimento, mesmo estando ainda num mesmo lance de ataque.

REPITO: é um mesmo lance de ataque, mas com situação nova da jogada.

Elias avança e a linha da bola fica à frente de Romero (guarde esse momento para novas explicações), ele tenta o gol e na sequência há rebote do goleiro Bruno. Romero coloca para dentro do gol. E o gol é legal, pois quem está atrás da bola, agora, é Romero.

Para tirar a dúvida: Romero estava impedido passivamente num primeiro momento (não há o que discutir), e no segundo momento não está mais, pois nasceu uma nova situação do mesmo lance.

Lembram do “momento que pedi para guardar” logo acima? Vamos a ele: e se Elias domina a bola e a toca de lado imediatamente a Romero?

Também seria lance legal! Elias veio de trás, e estando do lado de Romero, poderia tabelar normalmente com ele, desde que no toque da bola ele estivesse na mesma linha.

Incrível a Regra, não? Já imaginaram um gol tabelado assim?

Sabe como seria invalidado esse gol? Se Elias não TOCASSE na bola quando fosse dividir com o goleiro, pois o domínio do lançamento seria concretizado por Romero, que estava anteriormente impedido e continuou impedido pois Elias não a dominou quando podia. O rebote do goleiro, naquele caso, não tiraria o impedimento pois Romero se aproveitou de um lançamento do seu companheiro Rodriguinho, não de uma sobra tocada por Elias.

Ops: Parabéns ao bandeira Miguel Cataneo que acertou esse lance explicado acima e também pela correta anulação do gol do XV de Piracicaba. São situações distintas: quando ocorre o 1o. cabeceio do jogador do XV nasce uma nova jogada, onde há outro piracicabano à frente da linha da bola. Cássio reboteia e a bola sobra para este, em posição de impedimento (já que rebote não tira impedimento de quem estava no lance).

bomba.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s