– Análise da Arbitragem de Corinthians 2×1 Capivariano

Nesta 5a feira, CINCO situações difíceis para Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza decidir.

Vamos a elas?

1- PÊNALTI EM MARLONE?

Maycon (SCCP) lança a bola para Marlone (SCCP) que tenta passar por uma sequência de adversários e supostamente é tocado por Maguinho (CAPV), caindo na área. Toque do lateral direito ou simulação?

Nenhuma das duas coisas. Repare que antes dessa situação, na qual Maguinho vai apenas na bola, o capitão do Capivariano (que está na disputa de bola) empurra Marlone fora da área. É um leve empurrão, mas suficiente para desequilibrar quem está driblando e em velocidade. O atleta corinthiano tenta o equilíbrio e cai na área, na hora da disputa com Maguinho. Portanto: falta (fora da área) para o Corinthians que não foi marcada (e se registre: não foi pênalti de Maguinho, pois mesmo se Marlone fosse tocado, a infração anterior deveria ter sido marcada pois não houve vantagem). Errou o árbitro.

2) PRIMEIRO PÊNALTI RECLAMADO PELO CAPIVARIANO:

Willians (SCCP) vai dividir a bola com Marlon (CAPV) e chuta o lombo do adversário. O árbitro estava muito próximo, mas com a visão encoberta pelo corpo do atleta do Corinthians. Foi pênalti, mas ele deu fora. O tiro penal virou tiro livre indireto. Errou de novo.

3) EXPULSÃO DE EDILSON:

O lateral esquerdo do Corinthians xinga o Marcelo Aparecido Ribeiro claramente. Não há o que discutir. Acertou o árbitro.

4) SEGUNDO PÊNALTI RECLAMADO PELO CAPIVARIANO:

A bola é cruzada na área do Corinthians. Ela passa pela zaga pelo alto e vai sobrar para Chico (CAPV). Entretanto, enquanto ela viaja e todos estão atentos na pequena área, o atacante Marlone (SCCP) está ajudando a zaga e empurra com o braço as costas de Chico, cometendo pênalti. Se fosse ombro a ombro, seria tranco legal, mas não foi o caso. Creio que ali houve desatenção do juizão, pois estava preocupado com o bololô na área (que é uma ação costumeira da arbitragem). Errou pela 3a vez.

5) GOL ANULADO DO CAPIVARIANO:

Após a cobrança de escanteio do Capivariano, o zagueiro do Corinthians cabeceia a bola para trás, que sobra para Carlão, em posição de impedimento, que prossegue a jogada e aí sai o gol. Entretanto, lembremo-nos: se uma bola vem da defesa e o atacante está avançado, não há impedimento, pois a bola veio do adversário. Só que ela resvala em Vilson, e esse resvalão faz com que nasça uma nova jogada no mesmo lance. Portanto, o desvio no companheiro do atacante do Capivariano faz com que essa posição de impedimento seja confirmada. Acertou o árbitro Marcelo Aparecido com a excelente participação do bandeira Emerson Augusto de Carvalho.

Foram 5 lances de grande dificuldade, com 3 erros e 2 acertos. Mas uma curiosidade: a bola cabeceada para trás do corinthiano batendo num atleta de Capivari colocou o atacante em impedimento. Ou seja, o desvio foi o fator preponderante. Só que se a situação fosse a inversa, ou seja, o cabeceio fosse do atleta capivariano e desviasse no corinthiano, o desvio não tiraria o impedimento, já que a bola era intencionalmente tocada para Carlão!

E você, o que achou do jogo? Deixe seu comentário:

bomba.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s