– SPFC 1×0 Rio Claro: E se a bola bater sem querer é falta?

Cuidado com o que você ouve sobre pênalti de mão na bola da nova regra. Isso não existe!

Digo isso pois na partida entre São Paulo x Rio Claro neste último domingo, a expressão inoportuna apareceu de forma perigosa na TV.

Explico: no primeiro tempo, uma bola foi chutada para o ataque do SPFC. Um jogador do Rio Claro a intercepta com o pé; por ter vindo rápida e com força, ela sobe e bate despretensiosamente em seu braço. Não foi mão intencional! Assim, não foi infração mas lance normal e “segue o jogo”!

Entretanto, ouvi o amigo ex-árbitro Paulo César de Oliveira (que respeito demais) comentando na Rede Globo que seria falta sim pois o braço aberto dá uma vantagem ao jogador. O narrador Cleber Machado ainda argumentou falando sobre a “dificuldade da nova regulamentação” mas de nada adiantou.

Ora, a Regra não mudou. O fator decisivo para se marcar uma mão na bola continua sendo a seguinte avaliação: o atleta teve intenção de tocar a bola com as mãos ou foi sem querer? A FIFA apenas orientou: tome cuidado com o jogador que fizer um movimento antinatural com os braços para ludibriar a arbitragem; ou seja, aquele que usar as mãos intencionalmente disfarçando que foi sem querer (como pular para disputar a bola com os braços esticados para cima, ter tempo para evitar o contato com o braço ou não, entre outras situações).

Dessa forma, uma bola veloz que desvia no pé de um jogador e bate em seu braço sem querer não pode ser considerada movimento antinatural tampouco intencional. Acertou o juizão em campo e errou o árbitro em seu comentário.

bomba.jpg

– Análise da Arbitragem de Paulista 2×2 São Caetano

Jogo muito corrido, disputado e faltoso. Foram 7 Amarelos e 2 Vermelhos, com 46 faltas. O 1o tempo foi mais fácil para a arbitragem, o 2o nem tanto.

Márcio Roberto Soares esteve seguro, concentrado, sem ser espalhafatoso. Soube ser discreto. Gostei do que vi, em especial a sua qualidade em aplicar muito bem a lei da vantagem por duas vezes, em ataque do São Caetano.

Os cartões foram todos muito bem aplicados, mas um ficou faltando, abaixo descrito. (vide ao final da postagem).

Três lances polêmicos:

1- Jader (PFC) avança na área, parte para o drible e Sandoval (SCE) tenta lhe roubar a bola. Houve um leve contato físico, sem desequilibrar o atleta que se jogou. O árbitro corretamente aplicou cartão amarelo.

2- Felipe Piovesan (PFC) chuta a bola para o gol e Bruno Recife (SCE) “defende a bola”, a espalmando. Pênalti bem marcado mas faltou o segundo cartão amarelo (que resultaria na expulsão do jogador).

3- No final da partida, no meio do bololô, sobra um braço do atleta do São Caetano na bola. Bateu involuntariamente ou foi movimento antinatural da mão na bola? Lance dificílimo!

O bandeira Claudenir Donizete, embora pareça estar acima do peso, é o “falso gordo”. De todas as vezes que o vi em Jayme Cintra (e foram algumas), sempre trabalhou muito bem! Ajudou o árbitro na marcação de faltas quando precisou e foi bem nos impedimentos.

Abaixo, nossos rascunhos dos cartões durante a partida:

23m – Jader X Sandoval – o atacante vai para o drible, o zagueiro disputa a bola e Jader força a queda. Não houve contato físico SUFICIENTE para a infração, o atleta abdicou da continuidade da jogada. Juizão marcou simulação corretamente e aplicou Cartão Amarelo.

35 minutos – Mamadeira está no contra ataque e é empurrado por Paulo Fernando. Cartão Amarelo bem aplicado.

44m – Brener dá um carrinho em Junior Alves e é advertido por cartão amarelo. Correto.

51m – Neto reclamou acintosamente de uma bola que não saiu na lateral, gesticulando e falando demais com o bandeira 2. Corretamente ele aplicou cartão Amarelo e marcou tiro livre indireto.

53m – Amarelo para Arthur do Paulista, por falta temerária na lateral.

58m – Amarelo para Bruno Recife por falta temerária no ataque do Paulista

70m – Neto, aquele mesmo do Cartão Amarelo por reclamação ao bandeira, matou o contra-ataque de Felipe Piovesan, quando partia sozinho em ataque. Recebeu vermelho.

75 m – Edinho chuta vantagem para Cleber. Não há vantagem, volta o lance e marcou a falta.

77 m -Bruno Recife cai após o chute de Piovesan e desvia a bola usando a mão intencionalmente. Foi pênalti. Faltou Vermelho pois Bruno tinha Amarelo.

78 m- Sandoval empurra o jogador do Paulista , discute com todo mundo, ameaça agredir e é contido pelos seus companheiros. Não teve jeito – vermelho.

85m – Edinho – Amarelo por reclamação.

91m – uma bola que bateu (ou foi rebatida pelo uso antinatural das mãos)? Realmente o lance é duvidoso.

Paulista 2×2 São Caetano (Parcial)

Público: 1020 pagantes

Renda Líquida R$ 6020,00+

Renda Bruta R$ 3766,75 –

bomba.jpg