– Análise da Arbitragem de Paulista 1×2 Nacional e o Gol Irregular

Em uma partida com 8 cartões amarelos (PFC 4×4 NAC) e 34 faltas (PFC 20×14 NAC, onde o mais faltoso foi Fernando Lopes, camisa 5 do Galo, cometendo 6 faltas), o árbitro Roberto Pinelli teve erros e acertos em sua regular atuação.

Tecnicamente (a exceção do gol que relataremos mais à frente), não comprometeu. Marcou bastante faltas e não foi importunado por lances polêmicos desta natureza.

Disciplinarmente aplicou com correção os cartões, embora tenha confundido a advertência a Rodolfo (PFC), que não cometera falta em Bruninho (NAC). Ingro (PFC) foi em direção ao árbitro e relatou que o infrator fora ele, não o seu companheiro. O bandeira Edson Rodrigues dos Santos confirmou o erro e o cartão foi trocado.

Fisicamente não gostei, pois se manteve um pouco distante das jogadas e seu uniforme, aparentemente maior do que seu número adequado, trazia a impressão de “falsa barriga”. Esteticamente isso prejudica.

O lance polêmico foi o gol de empate do Nacional: Marcão (NAC) cruza a bola, ela vai em direção ao gol no lado direito de ataque. O goleiro Iago (PFC) se joga para tentar a defesa e Bruninho (NAC) vai para dividir e colocar a bola para dentro. Aparentemente, a bola iria entrar no gol sem o toque de Bruninho (a bola não havia passado a meta). O atacante tenta com a sola do pé tocá-la e atinge o goleiro. Mas atenção: isso não é pé alto e nem jogo perigoso, é ação temerária. Entenda:

1) Se Iago fosse defender a bola, estivesse de pé e Bruninho levantasse o pé, seria Tiro Livre Indireto para o Paulista por jogo perigoso. Mas não foi isso o que aconteceu.

2) Se Iago estivesse caindo para a defesa e o jogador viesse com a chuteira levantada (não precisa ser “pé alto”) para disputar a bola, ainda assim seria falta pois o goleiro estava realizando parcialmente a defesa e não pode ser importunado nesse momento, existindo o toque. Seria Tiro Livre Direto por falta no goleiro, sem aplicação de cartão.

3) Se Iago estivesse tentando praticar a defesa, em queda, e o atacante fosse com a sola e se antecipasse, é Tiro Livre Indireto (pela “solada”). Mas não foi bem isso o que aconteceu: na verdade, Bruninho toca com as travas da chuteira o peito de Iago. Isso é falta por ação temerária: Tiro Livre Direto ao Paulista FC e cartão amarelo para o atacante do Nacional AC. Portanto, errou o árbitro, o gol foi irregular.

Em tempo: se o árbitro considerasse que tudo isso aconteceu depois da bola ter ultrapassado a meta, daria o gol para Marcão, não para Bruninho, como foi o ocorrido.

Claro, aqui não julgo se a vitória do time da Capital foi merecida ou não, apenas pontuo a atuação do árbitro.

Abaixo, o peito do goleiro após a dividida:

bomba.jpg
Foto: Thiago Batista de Olim, do site “Esporte Jundiaí” (www.esportejundiai.com)

O link dos melhores momentos pode ser acessado pela gravação postada pelo profissional Cláudio de Andrade, em: https://www.facebook.com/diandrady/videos/10155035759289243/

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s