– Mão na Bola ou Bola na Mão? Sobre CAM 1×0 SPFC

Não assisti aos jogos desta noite pelo Campeonato Brasileiro, mas leio que o São Paulo FC reclama de um pênalti não marcado a seu favor por lance de mão na bola dentro da área de defesa do C Atlético Mineiro.

Como não vi a jogada, não comento. Mas posso ajudar explicando o que a Regra diz para a avaliação dos amigos. Vamos lá:

Para saber se foi infração de mão deliberada na bola, questione (lembrando: NUNCA avalie tais lances como imprudência, pois não existe na Regra a avaliação de mão imprudente, somente intencional):

  1. É a mão que vai intencionalmente em direção da bola ou a bola que vai acidentalmente na mão (e o conceito de mão é: mão / braço / antebraço)?;
  2. – Havia tempo hábil para tirar o braço e evitar o contato?;
  3. – A velocidade em que a bola chega é razoavelmente rápida?;
  4. – A distância da bola;
  5. – O movimento antinatural do atleta (ou seja: o atleta poderia evitar o contato, mas o movimenta antinaturalmente no esforço físico para que ela bata disfarçada e propositalmente, tirando proveito disso).

Assim, esqueça qualquer dito popular de que: “mas houve o domínio”, ou “ía em direção ao gol, ou pior ainda: “mudou a trajetória da bola”. Tudo isso não existe, é como “lenda urbana de que tomar leite com manga faz mal e pode matar”. O que vale, acima de tudo, é: HOUVE INTENÇÃO DE COLOCAR A MÃO NA BOLA OU NÃO?

Tal pergunta resume as 5 dicas citadas acima (seja por jogadas de movimento explícito/disfarçado, natural/antinatural). Infelizmente, aqui no Brasil se criou a mania de interpretar equivocadamente, na qual chamamos ironicamente a Regra 12 de Regra 12B, a que transforma o lance em DodgeBall (ou se preferir: queimadachutou, bateu, é falta!)

Resultado de imagem para Atletico Mineiro x São Paulo

– Queda esperada? Mas e se fosse outro adversário…

O Corinthians perdeu para o Ceará no “Castelo do Vozão” e o presidente Andrés Sanches demitiu o treinador Osmar Loss. Uma hora isso aconteceria, só não esperava agora, antecedendo o importante Derby do final de semana e, principalmente, depois de ouvir o presidente do Corinthians, o Deputado Federal Andrés Sanches, GARANTIR que Loss não cairia.

Palavra não vale nada, hein?

Já sabemos que Jean Pierre “Vin Diesel”, outro gaúcho fortão da CBF, apitará o Derby. Ok, a opção de árbitros fisicamente imponentes que a CA faz é exclusivamente dela; eu preferia os melhores técnica e disciplinarmente, pois sempre valorizei a meritocracia, mas…

E quem será o treinador do Coringão? Muita gente usa a expressão “caiu de véspera”, e foi essa a estratégia – a de preferir ir para o jogo sem técnico do que supostamente perder a partida para o arquirival e demitir o treineiro, aguentando gozações – adotada pelo clube.

Aguardemos. Aberta a temporada de boataria.

Resultado de imagem para Palmeiras x Corinthians

– Análise Pré-Jogo para a Arbitragem de Paulista x Itararé

Para o jogo marcado no feriado de 07 de setembro (Dia da Pátria) entre Paulista FC x AA Itararé, apitará o limeirense Thiago Luís Scarascati, 35 anos. Risser Jarussi Corrêa e Eduardo Vequi Marciano (ambos experientes e com 39 anos de idade, que costumeiramente são escalados em Jundiaí) serão os bandeiras. André Luiz Ribeiro Cozzi será o 4o árbitro.

Scarascati apitou a final da Copa SP de 2015 (outro árbitro que apitou uma final da Copa São Paulo sendo escalado no Jayme Cintra). Desde a sua boa estréia na série A1, acabou oscilando tecnicamente mas retornou à boa forma. Apitou na semana passada a vitória do Flamengo de Guarulhos contra o Comercial de Ribeirão Preto, embora esteja sendo bastante escalado no Brasileirão das diversas divisões. Aliás, me chamou a atenção ter apitado no Acre a partida entre Rio Branco x Macapá na “Arena Floresta” e 3 dias depois estar trabalhando como AAA no Rio Grande do Sul no Grêmio x Fluminense na “Arena Grêmio“. Está bem no acúmulo de milhagens…

Dentro de campo, das partidas que assisti, vi que ele “gosta de jogo”; ou seja: não fica parando a partida a qualquer motivo, permite o contato físico viril mas sabe coibir o excesso que vira falta. Um time mais forte fisicamente e que goste de contra-ataque, se dá bem com tal estilo de arbitragem.

Desejo uma ótima partida para todos e uma grande arbitragem.

Acompanhe a transmissão de Paulista x Itararé pela Rádio Difusora Jundiaiense AM 810, com o comando de Adilson Freddo. Narração de Vagner Alves; comentários de Heitor Freddo e Robinson “Berró” Machado; análise da arbitragem com Rafael Porcari; reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Na técnica externa Antonio Carlos Caparroz. Sexta-feira às 15h00 – mas a jornada esportiva começa a partir das 14h00 para você ter a melhor informação com o Time Forte do Esporte!