– Qual erro é mais grave e/ou traz mais consequências? Sobre Palmeiras 1×2 Figueirense:

Aos 24 minutos do 2o tempo, o jogador do Palmeiras Marcus Meloni agrediu com uma cabeçada o adversário João Diogo, do Figueirense. O árbitro Jefferson Dutra Giroto não viu e não o expulsou.

Aos 47 minutos do 2o tempo, Léo Passos fez um gol legal (que determinaria o empate da partida), mas estando mal posicionado, o bandeira 2 Thiago Alborgueti assinalou impedimento.

Aqui temos um exercício de futurologia e achismo, mas vale a reflexão:

  • Se o árbitro tivesse aplicado o Cartão Vermelho para o palmeirense, o time de Santa Catarina jogaria com um atleta a mais por mais de 20 minutos (considerando os acréscimos). Mesmo assim, o placar estaria 2×0 a favor do Figueirense, aos 47 minutos (quando saiu o gol mal anulado) ou estaria 3×0, 4×0… (já que o Palmeiras teria um atleta a menos nesse torneio tão cansativo e com o gramado tão pesado)?

Claro que um prejuízo no final do jogo é mais difícil de se recuperar do que no começo da peleja (pois o tempo da partida é diminuto). Porém, a gravidade do erro de um é maior ou menor do que outro?

Enfim: as duas equipes foram prejudicadas por conta de uma ruim arbitragem. Mas pondere: a Copa São Paulo é para revelar árbitros e dar experiência a eles. Se alguns muito “crus” estão sendo escalados antes da hora, é outra história. O que não pode é diferença de grau de qualificação da arbitragem em mesmas situações.

Resultado de imagem para cabeçada do jogador do palmeiras