– A Perfeição oferecida pelo VAR!

O VAR veio para consertar muitos erros da arbitragem. Mas aqui o primeiro caso de um “conserto perfeito”: o jogador expulso por segundo amarelo volta a campo para ser expulso por vermelho direto, retirando-se o amarelo equivocado!

Excelente decisão e procedimento correto!

Abaixo, extraído de: GloboEsporte.com

JUIZ CONSULTA O VAR E CHAMA JOGADOR EXPULSO DE VOLTA SÓ PARA EXPULSÁ-LO CORRETAMENTE

Lance curioso aconteceu na Polônia com o zagueiro francês William Rémy, do Legia Varsóvia

O VAR surgiu para ajudar os juízes, evitar erros, corrigir marcações equivocadas. Enfim, para tornar o futebol menos sujeito a equívocos. E às vezes ele serve só para deixar mais claro que o juiz acertou. Veja o que aconteceu no clássico polonês Legia Varsóvia 0 x 2 Cracóvia neste domingo: expulso aos 32 minutos do segundo tempo após receber o segundo cartão amarelo por pisar em um adversário caído, o zagueiro francês William Rémy, do Legia Varsóvia, já se dirigia para o vestiário quando foi chamado de volta ao campo pelo árbitro Piotr Lasyk.

O que pensou o Rémy? O juiz reviu o lance no VAR e vai retirar o cartão amarelo.

Acertou o zagueiro, mas não do jeito que ele imaginava. Realmente, Piotr Lasyk mudou de opinião após consultar o vídeo. Não era lance para amarelo, e sim para vermelho. Para ser completamente justo, o árbitro fez Rémy voltar a campo apenas para trocar a cor do cartão.

O zagueiro pisou no gramado, viu o juiz sinalizar que tinha retirado o amarelo e já se preparava para voltar ao jogo quando o apitador o chamou de volta para expulsá-lo novamente. Desta vez, com um vermelho direto, seguindo estritamente a recomendação do VAR.

Abaixo, a quase volta de Rémy ao jogo, e em seguida o lance que gerou a ‘dupla expulsão’ com a revisão do VAR.

Em: https://globoesporte.globo.com/blogs/brasil-mundial-fc/post/2019/02/18/juiz-consulta-o-var-e-chama-jogador-expulso-de-volta-so-para-expulsa-lo-corretamente.ghtml

O momento da segunda expulsão do francês William Rémy — Foto: Reprodução de TV

– IMPORTANTE: fazemos favor de Graça à rica FPF?

Eu defendo a generosidade, o “fazer favor sem nada esperar”, a solidariedade. É uma conduta de vida, pois àqueles menos favorecidos precisam da ajuda dos que mais têm. Não é discussão ideológica de capitalismo x consumismo, mas simplesmente cidadania (e para quem tem fé cristã: fraternidade).

Digo isso pois NÃO ENTENDO os inúmeros favores que a Prefeitura Municipal de Jundiaí (e respeito demais o prefeito Luiz Fernando Machado, enquanto pessoa e chefe do Executivo da nossa cidade) tem feito à FPF, CBF e SAFESP. A troco de nada?

Muitas vezes eu leio questionamentos de torcedores do Paulista FC pedindo intervenção do Município para ajudar o clube. Esses apelos aconteceram desde a decadência financeira do clube, e foram feitos desde os tempos de Miguel Haddad, passando pelo Pedro Bigardi e continuam sendo feitos à atual gestão. Sempre fui muito claro e insisto: sou totalmente contra a entidade pública ajudar com recursos de impostos (que eu pago tão suado) às entidades privadas, e especificamente ao Galo que tanto amamos. Eu prefiro ver que as verbas sejam ao Hospital São Vicente, às Escolas Municipais e coisas mais necessárias para a população como um todo. Reforço: digo isso apartidariamente (não voto em legendas, mas em pessoas).

Toda essa longa introdução é que me revolto ao ver os árbitros da CBF fazendo por dias os Testes Físicos na Pista de Atletismo do Bolão. Ora, é uma praça municipal onde o complexo esportivo deve ser prioritariamente a nós, jundiaienses. A CBF é rica, endinheirada, privada, manchada por escândalos de corrupção, e nós cedemos o Bolão DE GRAÇA!!!

O mesmo se aplica à milionária FPF, que esfola os clubes com suas taxas, exige “de tudo” para disputar os campeonatos e liberar os estádios, e que usa nossas dependências públicas sem nada pagar. Ao máximo, a troco de bolas de futebol.

Agora, o Sindicato dos Árbitros de Futebol de São Paulo, o SAFESP, na pessoa do Arthur Alves Jr, o presidente polêmico (denunciado por assédio sexual segundo a Folha em São Paulo, em: https://wp.me/p55Mu0-Ig e também por fraude nas Eleições, em: https://wp.me/p55Mu0-M8) anuncia que a 47a reunião da diretoria da entidade ocorrerá no Complexo Esportivo Nicolino de Lucca, o “ginásio do Bolão”. Tudo “na faixa”.

Quando o jogador Heltton Matheus, o gato da Copinha, foi descoberto como irregular, o atleta foi suspenso e o Paulista desclassificado da competição (às vésperas de jogar a final contra o Corinthians). O documento do jogador havia sido enviado pela FERJ, APROVADO pela FPF e o nosso “Galo pagou o pato pelo gato”. Essa rica FPF que usa de graça o Bolão levou em conta que o Paulista não era o responsável? NÃO! Sem bom-senso, eliminou o Tricolor!!!

Durante os campeonatos que o Paulista vem disputando, o Estádio Jayme Cintra se torna laboratório de árbitros jovens que fazem o que querem (errando a favor e contra por estarem sendo ainda trabalhados e em formação). Isso é respeito?

Dessa forma, eu (como contribuinte) ou você, leitor, que paga seus impostos, saiba: estamos ajudando a FPF (que não precisa dessa economia) a troco de nada (ou quase nada), como se dá o enunciado desta postagem.

Na pindura que o Paulista está, por quê a Prefeitura não exigir como contrapartida (e isso não é ilegal) que a FPF ajude financeiramente o clube de Jundiaí como sempre fez aos grandes da Capital – e que é algo corriqueiro?

Taí a dica: libere uma verba para pagamento a longo prazo, dona Federação (como faz a muitos clubes) para o Paulista jogar a série B sem tanta dificuldade, em troca do uso das instalações. Estará de acordo com a lei, não é imoral e seria adequado.

Resultado de imagem para {Pista do Bolão