– Análise Pré-Jogo para a Arbitragem de Paulista x Primavera, Rodada 10 da A3.

Rodrigo Gomes Paes Domingues, 37 anos, empresário, há 13 temporadas apitando pela FPF, apitará o Galo x Fantasma.

O árbitro apitou União Barbarense 1×1 Paulista pela A2 e Barretos 1×0 Paulista pela A3. Na Copa Paulista, apitou XV de Piracicaba 2×1 Paulista. Mas o destaque maior dele está sendo na série A2 e nas primeiras oportunidades na A1 que teve no ano passado, tendo a carreira bem solidificada pelo bom número de jogos em cada divisão inferior que ele apitou. Uma carreira sem atropelos.

Das partidas que assisti dele, a que mais me impressionou foi num torneio amador: São Paulo 4×0 Rondonópolis (Copa SP Jr), em Mogi das Cruzes, onde ele acertou 3 lances difíceis relatados na análise que fiz no meu blog, mostrando bastante rigor mesmo sendo uma partida, em tese, fácil para apitar.

Espero que ele atue com o mesmo comprometimento em manter a disciplina e a segurança dos atletas durante os 90 minutos, sendo tranquila ou difícil a partida em si.

Desejo às equipes um bom jogo e uma ótima arbitragem.

Acompanhe a transmissão de Paulista vs Primavera pela Rádio Difusora Jundiaiense AM 810, com o comando de Adilson Freddo. Narração de Edson Roberto; comentários de Heitor Freddo e Robinson “Berró” Machado; análise da arbitragem com Rafael Porcari; reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Sábado, às 16h00 – mas a jornada esportiva começa a partir das 15h00 para você ter a melhor informação com o Time Forte do Esporte!

Resultado de imagem para paulista x primavasra

Os dois erros de arbitragem nos jogos do Palmeiras e do Flamengo na Libertadores. E se tivéssemos VAR?

Dois lances bem polêmicos e que o VAR fez muita falta na Copa Libertadores da América. Vamos a eles:

Em Tigre x Palmeiras, no final da partida, o atacante Willian invade a área e o goleiro Marinelli o desequilibra, evitando um gol claro. Na regra antiga, é pênalti e Cartão Vermelho. Na regra nova, é pênalti e Cartão Amarelo pois a infração foi disputando a bola. Errou o colombiano Wilmar Roldán (que nunca “consegue errar” a favor de times brasileiros, sempre contra).

Em Jr Barranquilla x Flamengo, Teo Gutierrez deu uma cotovelada em Felipe Luiz e nem recebeu Cartão Vermelho. Simplesmente a agressão foi ignorada pelo árbitro venezuelano Alexis Herrera (o mesmo que também errou no jogo entre Guaraní x Corinthians, na polêmica da falta não marcada em Boselli).

Com tanto dinheiro e inúmeros patrocinadores, neste momento em que o custo do VAR não é exorbitante pelo tamanho da competição, por quê usar o árbitro de vídeo só nas fases finais? É a chamada “economia burra” ou a falta de mão de obra para ser escalada nos jogos?

Sorte dos clubes que o resultado final não foi alterado (vitória de ambos), mas em questão de saldo de gols, pode-se discutir.

Resultado de imagem para VAR Conmebol