– Do Futebol do Equador vem o exemplo de cuidados contra o Coronavírus.

Pandemia é algo para ser levado a sério, especialmente no futebol profissional – a mais importante das atividades menos importantes.

Vejam só que exemplo vem do Equador, onde o descuido de um atleta rendeu uma pesada multa.

Extraído de: https://jovempan.com.br/esportes/futebol/campeonato-equatoriano-multa-jogador-em-r-65-mil-por-beijar-a-bola.html

CAMPEONATO EQUATORIANO MULTA JOGADOR EM R4 65 MIL POR BEIJAR A BOLA

Sergio López violou o protocolo de segurança para evitar a propagação da covid-19

O jogador argentino Sergio López, do Aucas, foi multado em US$ 1,2 mil, cerca de R$ 65 mil, pela Liga Pro, que organiza as primeiras divisões do Campeonato Equatoriano, por ter beijado a bola durante a vitória de sua equipe sobre o Maracá por 1 a 0, na última sexta-feira. Em ata publicada hoje pela Liga Pro, a atitude do meio-campista é expressamente proibida pelo protocolo de segurança aplicado no campeonato para evitar a propagação do novo coronavírus. É uma das punições mais severas aplicadas no futebol do país em razão da pandemia desde a volta do esporte em território equatoriano, em 14 de agosto.

No último dia 17, dois jogadores do Olmedo Marco Vinicio Nazareno, Joao Paredes e Kevin Mina, foram multados pelo Comitê Disciplinar da Liga Pro, por trocarem camisas com Pedro Pablo Perlaza, artilheiro do campeonato, e Cristian Borja, ex-Flamengo. Ambos atuam pela LDU de Quito, e receberam a mesma punição.

A LDU de Portoviejo foi multada em US$ 500 no último dia 24 por não terem fornecido um kit de primeiros socorros, enquanto o Emelec foi multado em US$ 2 mil por não ter fechado o estádio e não fornecer mais de dois pontos de acesso, violando os protocolos de biossegurança.

Punição aplicada a López é uma das mais severas aplicadas no futebol do Equador em razão da pandemia

– Jô no STJD pela agressão no Majestoso.

O lance de Jô socando Diego Costa no São Paulo 2×1 Corinthians, não visto pela arbitragem e que passou batido pelo VAR, foi denunciado ao STJD. Aliás: esta, exatamente, é a jogada em que o árbitro de vídeo deveria estar atento e não esteve – até porquê, devido às reclamações dos jogadores, era lógico que algo real ou simulado deveria ter acontecido e a cabine analisado.

Se visto pela arbitragem, era para Cartão Vermelho. E cá entre nós: a ação de Jô não foi resultante de alguma reação unfair-play, mas provavelmente pela irritação da própria atuação do corintiano, que sucumbiu à boa marcação do jovem são-paulino.

Acontece. Quantas vezes vemos jogadores perdendo o controle emocional por não conseguirem render o que podem, por culpa de inesperadas boas jornadas de quem não se imaginava (e aqui não é menosprezo ao zagueiro do SPFC, mas pela lógica, a experiência do atacante do SCCP seria mais decisiva na partidaem tese).

Em tempo: no “palpitômetro”, acho que Jô pegará 1 jogo de suspensão (que seria a automática de uma expulsão).

São Paulo x Corinthians: veja histórico do clássico no Brasileirão