– Defendendo o indefensável: o VAR no Brasil

Depois de mais um lance confuso no Brasileirão (falamos da anulação do gol do São Paulo no Mineirão por impedimento), fico cada vez mais descrente com o uso do Árbitro de Vídeo. 

Aqui, me parece excesso de protagonismo, incompetência e, se for levado por Teorias Conspiratórias, erros para que se desacredite na ferramenta.

Sou entusiasta da tecnologia na dose certa (fiz uma comparação aqui: https://wp.me/p4RTuC-rff). Porém, para entender o quão pode melhorar o VAR no Brasil, leia algumas considerações feitas em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2019/09/09/o-que-acontece-com-o-var-no-brasil/.

O MAIS IMPORTANTE: se você quiser entender o por quê de tantos erros, entenda o que a FIFA realmente quer e o que se faz aqui no Brasil no link em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2019/11/05/o-que-a-ifab-pede-ao-var-e-o-que-o-brasil-faz-com-ele/.

Imagem

– O pênalti de Palmeiras 1×1 Internacional

Caramba, quando a fase não é boa, tudo dá errado.

Criticado pela atuação “excessivamente cautelosa e demorada” no último domingo na Vila Belmiro, o árbitro Wilton Sampaio marcou um pênalti inadmissível para um FIFA como ele na Allianz Arena. Uma bola que acidentalmente, sem ser movimento antinatural, sem bloquear deliberadamente a jogada, com qualquer falta de intenção em ampliar espaço (e etc, etc, etc…) bateu sem querer no braço/mão de Luan.

Ali, não precisa de VAR. É um lance claramente casual de jogo. “Caçar elementos” para justificar uma infração (como fez com o árbitro de vídeo) não pode. E mesmo se pudesse, não encontraria irregularidade alguma naquela jogada.

Errou na interpretação totalmente equivocada.

O jogador Zé Rafael, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Nonato, do SC Internacional, durante partida válida pela sétima rodada, do Campeonato Brasileiro, Série A, na arena Allianz Parque. (Foto: Cesar Greco)

– Não faça isso, Marinho!

Na partida entre Santos 2×2 Vasco, o atacante Marinho fez um gol e, ao invés de comemorar com seus companheiros, foi “fazer uma graça com o VAR”, ironizando o monitor.

É sabido que o Santos está pilhado com a arbitragem (embora a anulação dos 2 gols contra o Flamengo tenha sido correta, em que pese a demora tenha sido absurda – vide aqui: https://wp.me/p4RTuC-rg8), mas é perceptível também que Marinho tem recebido cartões evitáveis, fruto de indisciplinas cometidas pelo atleta. Então… pra quê provocar a cabine do equipamento eletrônico?

Correu o risco ali de receber Cartão Amarelo por reclamação à arbitragem (e haveria nova chiadeira). Não seria mais inteligente festejar o tento com seus colegas de trabalho?

Santos: Marinho tira sarro de VAR após gol do Santos contra o Vasco