– Os novos VARs da CBF na FIFA

A mim, não causou nenhuma surpresa a manutenção dos 10 árbitros brasileiros indicados pela CBF para a FIFA. São eles (desde o começo do ano):

Árbitros:
Anderson Daronco (RS)
Bráulio da Silva Machado (SC)
Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Rafael Traci (SC)
Raphael Claus (SP)
Rodolpho Toski Marques (PR)
Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Wilton Pereira Sampaio (GO)

Mesmo sem boas atuações no último ano, foram mantidos Luiz Flávio (que definitivamente não deslanchou na carreira internacional), Bruno Arleu e Rodolpho Toski. Mas como o Brasil tem o número máximo de FIFA’s permitido, a CBF não observou outros nomes que pudessem substitui-los na lista, evitando assim correr o risco de desagradar suas federações de origem.

A novidade foi o tão aguardado anúncio do quadro específico de árbitros de vídeo (os árbitros acima exercerão a arbitragem principal da partida e poderão ser escalados como VAR; mas os da lista específica, só poderão atuar como VAR, impedidos de entrar em campo como árbitros centrais nas competições internacionais). Abaixo:

Árbitros assistentes de vídeo (VAR)
Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
José Claudio Rocha Filho (SP)
Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)
Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Wagner Reway (PB)

E aí, gostou dos nomes? São razoavelmente experientes, mas que não fazem jus à condição de FIFA como árbitros centrais.

Anderson Daronco, árbitro do quadro internacional FIFA em 2021

– Um sorriso desnecessário que derruba o seu trabalho: Santa Cruz x Ituano!

O Santa Cruz-PE venceu o Ituano-SP na briga pelo acesso da Série B do Brasileirão (última rodada do primeiro turno do quadrangular final). Entretanto, o time paulista reclamou demais da arbitragem, com expulsões de seus atletas e outras marcações.

O problema maior foi: depois do jogo, o volante Paulinho, do Santa Cruz, foi cumprimentar o árbitro Igor Junio Benevenuto. De forma efusiva, abraçou e sorriu para o juizão, que retribuiu. Vinícius Bergantin, treinador do Ituano, ficou irritadíssimo com a imagem.

Vamos lá: é normal que as equipes, pós-partida, cumprimentem por educação a arbitragem (ou reclamem, quando descontentes). O erro se deu com a falta de experiência / vivência de Igor, que já deveria ter aprendido (pois tem um razoável tempo de carreira) que se deve evitar situações de constrangimento quando há algum entrevero na partida.

Se um time se queixa durante o jogo de favorecimento a outro, mesmo não existindo, EVITE ficar parado, sorrindo em campo e, principalmente, deixando se abraçar come se existisse intimidade. Cumprimente de longe, faça cara de sério, mostre-se imparcial e, lembrando, evite contato físico (afinal, estamos em época de pandemia).

Igor fez o de sempre: apitou dentro dos seus limites. Mas foi contestado pela falta de distanciamento permitida por ele próprio.

Não basta ser honesto, há de se mostrar a honestidade com coisas que, mesmo sendo bobas para nós, podem ser relevantes para o torcedor ou à equipe que perdeu.

Outros detalhes em: https://globoesporte.globo.com/google/amp/sp/tem-esporte/futebol/times/ituano/noticia/em-rede-social-ituano-acusa-arbitro-de-comemorar-vitoria-do-santa-cruz-com-jogadores.ghtml