– O caso de racismo envolvendo Diakhaby e Juan Cala.

Pelo Campeonato Espanhol, o francês Diakhaby, do Valência, deixou o campo após discutir com o espanhol Juan Cala, do Cádiz, alegando ter sido vítima de racismo.

O time do Valência, na sequência, deixou o campo, em solidariedade ao seu jogador, mas voltou ao jogo sem ele para evitar punições.

O árbitro não puniu ninguém pois não ouviu xingamentos nem pode comprová-los, mas relatou em súmula que Diakhaby reclamou ter sido chamado de “negro de merda”.

Eu tenho muito cuidado com injustiças. Toda a minha solidariedade ao atleta vítima de racismo, mas reservo-me a uma preocupação: há imagem / áudio comprovando a ofensa? 

Digo isso, pois, sabemos, no futebol acontecem várias coisas: acusações, brigas, discussões e… até mesmo invenciones (ressalto: não estou dizendo que é invenção do atleta francês, mas apenas tendo a preocupação de não acusar alguém injustamente – lembre-se, guardadas as proporções, do episódio Najla e Neymar).

RACISMO – seja no esporte ou na sociedade, é algo INTOLERÁVEL!

Extraído de: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2021/04/05/jornal-marca-racismo-diakhaby.htm

RACISMO: JORNAL SE SOLIDARIZA COM DIAKHABY

O jornal espanhol Marca se solidarizou com o jogador Mouctar Diakhaby, do Valencia, que foi vítima de racismo por parte de um adversário durante jogo contra o Cádiz, ontem (4), pelo Campeonato Espanhol.

Na edição de hoje do jornal, o Marca fez uma capa preta com a foto de Diakhaby fora do gramado após o caso de racismo e escreveu: “Não está sozinho”.

“Intolerável episódio racista no futebol espanhol”, publicou o jornal.

Com meia hora do jogo, Diakhaby discutiu com o espanhol Juan Cala e se irritou com algo dito pelo adversário. Alegando racismo, o zagueiro e seus companheiros decidiram ir para o vestiário, mas mudaram de ideia pouco depois por temer uma punição.

O Valencia voltou a campo sem Diakhaby, que se trocou e foi para a arquibancada. Juan Cala, por outro lado, continuou jogando normalmente.

As, Sport e Mundo Deportivo, outros dos principais jornais esportivos da Espanha além do Marca, não deram muito destaque ao episódio de racismo nas capas da edição de hoje.