– Enzo Perez foi o símbolo de um River Plate guerreiro contra o Santa Fé!

Coisas do futebol: por conta de um surto de Covid, o River Plate entrou em campo com 11 jogadores e não teve nenhum substituto à disposição contra o Santa Fé.

Dos 11, vários eram reservas e o goleiro era um meio-campista improvisado, que estava lesionado (Enzo Perez).

E não é que os argentinos ganharam dos adversários por 2×1?

Todos os aplausos para o vencedor e àqueles que jogaram “no sacrifício”. Mas vale lembrar: o Santa Fé provocou um verdadeiro fiasco…

Ou não devemos ter essa leitura?

Veja uma imagem do jogo de ontem, abaixo, do próprio Perez (lembre-se: ele não é goleiro e estava fora de forma por conta de uma lesão).

Em tempo: a Regra permite que qualquer jogador seja o goleiro, desde que o árbitro seja avisado e a troca de posição seja durante uma paralisação.

Sportbuzz · Com Enzo Pérez no gol e sem reservas, River vence o Santa Fe e  assume a liderança do Grupo D da Libertadores

– Análise Pré Jogo da Arbitragem para Palmeiras x São Paulo (1o jogo da decisão do Paulistão 2021).

Para a primeira partida da finalíssima do Choque-Rei, na Allianz Arena, apitará Flávio Rodrigues de Souza, 40 anos, pertencente ao quadro da FIFA e há 18 temporadas no exercício da arbitragem.

Uma boa escala – cautelosa e segura. Vamos lá:

Flávio apitou importantes jogos das duas equipes nesta temporada e está “invicto” com as duas equipes, e isso agrada demais os dirigentes. Por exemplo: Palmeiras 2×0 Ferroviária e São Paulo 1×0 Red Bull Bragantino, além dos clássicos Corinthians 2×2 São Paulo e Corinthians 0x2 Palmeiras.

Trocando em miúdos: chega “sem veto” à final.

E o que esperar dele nessa partida?

Imagino uma arbitragem tecnicamente muito boa, sabendo discernir bem os lances de mão na bola e bola na mão; creio que estará em cima dos lances, pois fisicamente Flávio é também muito bom, e, por fim, a minha preocupação: disciplinarmente! E explico: apitar o primeiro jogo de uma final é muito chato no sentido das cobranças indiretas para “não estragar a última partida”, e essa expressão tem o sentido de “não tirar atletas pendurados pelo 3o Cartão Amarelo” e “pensar duas vezes antes de expulsar alguém”. Nesse cenário, veremos um jogo mais cadenciado e não corrido, com muitas paralisações e sem a preocupação de ter tempo de bola rolando. O chamado jogo “picado” – por força do cenário, deixando tudo aberto para domingo. Afinal, todos têm a maior expectativa no jogo da tarde dominical, em TV aberta, com apelo muito maior de audiência e em interesse do que numa 5a feira útil às 22 horas. 

Marcelo Van Gassen, o Assistente 1, dispensa comentários. É bandeira de Copa do Mundo e extremamente competente. O Assistente 2, Anderson José “Bocão” Moraes Coelho idem na competência – e encerrará a carreira sem ter sido FIFA (um pecado pela excelente trajetória até então, pois bandeirou diversos clássicos importantes no Estadual e no Nacional, sempre passando incólume a erros).

Desejo boa arbitragem e ótimo jogo a todos!

Em tempo: para o 2o jogo, a lógica manda Raphael Claus estar escalado (apesar de ter beirado à expulsão do treinador Abel Ferreira no confronto contra o Red Bull Bragantino). Não creio que Luís Flávio estará na final nem Edina Alves Batista, os outros dois FIFAs do quadro.

Palmeiras volta ao Morumbi para se afastar do Z-4 e derrubar tabu