– Os pênaltis jabuticabas de Corinthians x Athlético Paranense e Atlético Mineiro x Fluminense.

Os árbitros do Brasileirão ficaram concentrados na Granja Comary, por determinação da nova Comissão de Árbitros (que é a mesma Comissão velha, sem o Gaciba). E durante os dias em que lá estiveram, treinaram e ouviram orientações. Aí…

… Você vê o árbitro marcando um pênalti em bola que bate no ombro / costa do zagueiro (em Minas Gerais). E o árbitro foi o baiano Marielson, da terra natal do novo presidente da CBF, cotado para ser juiz da FIFA!

… Você vê também pênalti de bola que bate na mão de jogador em movimento natural do braço em queda (em São Paulo).

Por favor, não me venham com bla-bla-blá de justificativas e invenciones criadas no Brasil. A Regra fala de intenção e movimento antinatural. Tudo está aqui, “mastigado”, caso o leitor não entenda (Link em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2016/09/30/interpretando-corretamente-os-casos-de-mao-na-bola-e-bola-na-mao/).

Já defendi a vinda de treinadores de árbitros europeus para o Brasil. Que tal trazer os próprios árbitros juntos, aproveitando a passagem de avião?

Respeitosamente: duvido que os pênaltis marcados nos jogos do Galo e no do Timão seriam marcados na Inglaterra, onde se apita a Regra verdadeira. Aliás, os erros contra os times que lutam para o rebaixamento estão complicados, né?

Foto: Miguel Riopa / AFP, extraída de: https://www.gazetadopovo.com.br/esportes/futebol-tem-novas-regras-para-mao-na-bola-substituicoes-e-penaltis-5gkxio97amy592y1g7ytc353i/

– Pitacos de Palmeiras 2×1 Flamengo: decisão da Libertadores da América.

Nos últimos 8 anos, somente 1 treinador brasileiro foi campeão da Taça Libertadores da América: Renato Gaúcho, em 2017, pelo Grêmio (nos demais, somente técnicos estrangeiros: 2014 San Lorenzo, 2015 River Plate, 2016 Atlético Nacional, 2018 River Plate, 2019 Flamengo e 2020 + 2021 Palmeiras).

Reparemos que os 3 últimos campeões (2 times do Brasil) tiveram técnicos portugueses (por ironia, de origem da pátria colonizadora no torneio que leva o nome em homenagem aos que libertaram a América do Sul).

E por falar em Portugal, o atual treinador Abel é iluminado: nas duas decisões, colocou nas etapas finais os marcadores improváveis: Breno Lopes e Deyverson, e ambos fizeram os “gols dos títulos”.

Como o “Menino Maluquinho” foi citado, o que dizer no último minuto de jogo da simulação de que “havia sido agredido pelo árbitro Nestor Pitana?” O juizão tirou Deyverson de uma confusão, e pensando ser um adversário que o tocava, o palmeirense caiu no chão simulando uma agressão. Hilário! Merecia o Cartão Amarelo (poupado pelo árbitro que deve ter ficado incrédulo no que viu).

Mas nem tudo foi festa: o que deverá estar passando na cabeça de Andréas Pereira, que cometeu uma falha capital?

Por fim, um pitaco: Jogadores exemplares, jogadores truculentos e até mesmo jogadores polêmicos, todos deram “glória a Deus pela conquista” nas entrevistas. Respeito qualquer crença, entendo que o agradecimento deve ser a Deus por um trabalho honesto e sem lesões, mas… não dá a impressão que o “jogador brasileiro que ganha o jogo” credita os gols que entraram a Deus, e assim se entende que Deus não esteve com o outro lado? Deu até a sensação que era um time devotado contra um time ateu, pelas palavras de alguns atletas. Com muito cuidado escrevo: Deus não faz o adversário perder o jogo, até porque Ele tem coisas mais importantes para cuidar e o perdedor também tem seus fiéis. 

Deyverson não perdoa falha infantil de Andreas Pereira. Palmeiras tricampeão da Libertadores

Foto: ANDRES CUENCA OLAONDO/REUTERS 

– Na Copa Árabe, o teste do Impedimento Automático por IA enfim ocorrerá. Dará certo?

Há muita especulação de como será o sistema de Inteligência Artificial que a FIFA utilizará para a marcação de impedimentos no futebol. Sabe-se, por enquanto, que haverá um número maior de câmeras e sensores para cruzar imagens do lançamento da bola para jogadores mais à frente. Não mais do que isso.

Especulou-se a ideia de “Chip no Uniforme“, por Arsene Wenger, mas não se falou muita coisa (reveja aqui tal debate: https://professorrafaelporcari.com/2021/10/21/a-ideia-de-impedimento-automatico-do-var-com-o-chip-na-camisa-funcionara/). O que me assusta é: a tecnologia inovadora será usada a partir do dia 30 na Copa Árabe, que será um evento-teste para a Copa do Catar 2022. Se der certo, poderá estar em prática no Mundial!

Abaixo, extraído de: https://ge.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/fifa-testara-tecnologia-de-impedimento-automatico-na-copa-arabe-na-proxima-semana.ghtml

FIFA TESTARÁ TECNOLOGIA DE IMPEDIMENTO AUTOMÁTICO NA COPA ÁRABE

Sistema que identificará automaticamente os jogadores em posição irregular será testado no Catar um ano antes da Copa do Mundo

Um ano antes da Copa do Mundo de 2022, a Fifa testará uma tecnologia que identifica automaticamente jogadores em posição de impedimento. O teste será feito na Copa Árabe, torneio organizado pela Fifa a partir do dia 30 de novembro, no Catar, que servirá como preparação para o Mundial.

Haverá um sistema de inteligência artificial instalado nos seis estádios que sediarão o torneio. Ele enviará imediatamente ao árbitro de vídeo uma mensagem quando um jogador estiver impedido. A partir daí, o árbitro de campo decidirá a marcação ou não.

 — Foto: Infoesporte

— Foto: Infoesporte

Este será o primeiro teste oficial de um sistema que já foi testado extra-oficialmente em algumas oportunidades na Europa, em estádios como o Etihad, do Manchester City, a Allianz Arena, do Bayern de Munique e o Estadio La Cartuja, de Sevilha.

Caso o teste seja bem sucedido, é esperada uma aprovação formal na reunião anual da International Football Association Board (IFAB) em março para que seja colocado em prática na Copa do Mundo, em novembro de 2022.

Estádio Al Bayt vai receber a final da Copa Árabe — Foto: Allan Caldas

Estádio Al Bayt vai receber a final da Copa Árabe — Foto: Allan Caldas

Os sistemas automatizados de impedimento utilizam câmeras e tecnologia computadorizada para rastrear os movimentos dos jogadores e da bola. Especialistas afirmam que deve ser mais preciso do que os impedimentos observados pelo VAR.

– Reinaldo era ou não para ser expulso em São Paulo 0x0 Athletico Paranaense?

Leandro Pedro Vuaden, outrora um árbitro que não deixava o jogo ficar parado pois não marcava as “faltinhas duvidosas ou forçadas”, mudou o seu estilo há alguns anos. Além dessa característica citada, ele não titubeava em expulsar quando necessário.

Digo isso pois num curto prazo de tempo, dois lances para Cartão Vermelho que ele contemporizou (entrada de Calleri em David Luiz, onde o VAR corrigiu; entrada de Reinaldo em Renato Kayzer, sem correção).
Mas no que se diferenciam e no que se igualam as entradas de Calleri e Reinaldo?

⁃ As diferenças:
Carelli vai com “vontade” em David Luiz após reclamar que o flamenguista houvera cometido um pênalti contra seu companheiro, praticando um carrinho frontal. Isso é jogo brusco grave com força excessiva. Ressalte-se que o argentino estava longe e correu até o adversário.
Reinaldo vai imprudentemente disputar com Kayzer, estando a uma distância curta, sem a mesma virilidade do que Carelli foi. Por estar com a perna levantada, correu o risco de cometer infração. E atenção: não atingindo é tiro livre indireto, sem cartão; atingindo bola e adversário, é tiro livre direto com Cartão Amarelo; atingindo exclusiva e certeiramente o adversário, é Cartão Vermelho.

⁃ As semelhanças:
Ambos atingem com a sola da chuteira frontalmente seus adversários. Aí, independente da força excessiva ou violência, são situações para Cartão Vermelho.

Ontem, de novo, Vuaden não expulsou. Contra o Flamengo, o VAR chamou, mas contra o Athlético, não. Os adversários do Tricolor na luta contra o rebaixamento devem estar chateados…

Em tempo, insisto: árbitros veteranos são exemplos para os mais jovens. Ao “segurar” cartões, esses experientes juízes “fazem escola aos demais”…

Ops: o “Zé Boca-de-Bagre”, amigo do meu querido Professor Reinaldo Basille, me perguntou: se Vuaden tivesse dado Cartão Vermelho “de bate-pronto” ao Carelli há 10 dias, por iniciativa própria e sem VAR, teria voltado ao Morumbi nesta 4ª feira ou seria vetado?

Imagem: extraída de JP (https://jovempan.com.br/esportes/futebol/sao-paulo-futebol/sao-paulo-x-athletico-pr-assista-a-transmissao-da-jovem-pan-ao-vivo-2.html?amp).

– A culpa da polêmica em Palmeiras 2×2 Atlético Mineiro é de quem: do VAR ou da Falta de Uniformização de Critérios?

Se existisse o prêmio de “Pereba do Brasileirão” (ao invés de “Craque do Campeonato Brasileiro”), o VAR levaria a “honraria”.

É incompreensível. Toda novidade pode ter dificuldade ao ser implantada, mas depois tende a evoluir. Após algum tempo, o VAR brasileiro só viu seu projeto involuir.

Digo isso pelos critérios de impedimento passivo / ativo que estão irritando (com razão) a torcida do Palmeiras. Entenda:

No Fluminense x Palmeiras, Yago chuta e a bola vai bater em seu companheiro que está em posição de impedimento (encobrindo a visão do goleiro). Ele se abaixa e a bola vai ao gol. O VAR não entende como impedimento ativo mas passivo. Errou ao validar o gol.

No Fortaleza x Palmeiras, Patrick de Paula chuta e a bola vai bater em seu companheiro (Gustavo Gómez) que está em posição de impedimento (encobrindo a visão do goleiro). Ele abre as pernas e a bola vai ao gol. O VAR entende como impedimento passivo. Acertou ao validar o gol (sobre esse lance, comentamos aqui – acesse para entender didaticamente a Regra: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2021/11/21/o-acerto-do-var-na-anulacao-do-gol-em-fortaleza-1×0-palmeiras/).

Porém, embora 2 lances idênticos tenham tido diferentes decisões, na noite desta 3a feira uma jogada muito parecida trouxe a ira dos jogadores do Palmeiras. Entenda: Hulk (CAM) chuta para o gol e Nacho Fernandez (CAM) está em posição de impedimento. O atleticano teria passado da condição de passivo para ativo, e atrapalhado o goleiro Jaílson (SEP), quando a bola passa por ele?

Repare que Nacho não está exatamente na frente de Jailson, atrapalhando seu campo visual, na hora do chute. Mas o detalhe é: durante a trajetória da bola, ela faz uma curva forte, e ele se vira para que ela não bata nele. É nesse momento que a atenção da visão do goleiro é atrapalhada.

Enfim:

1- se o chute vai reto e firme para o canto esquerdo de Jailson, gol legal, pois Nacho não teria atrapalhado em nada.

2- Indo ao canto direito em curva, gol ilegal, pois atrapalhou o goleiro.

Repito: cadê a interpretação correta da Regra (acima até da questão da uniformização de critérios)?

– Sobre o pênalti de Dawhan em Diego Costa no Atlético Mineiro 2×0 Juventude:

Luiz Flávio de Oliveira não havia marcado pênalti quando o VAR o chamou para verificar uma suposta infração de Dawhan (JUV) e Diego Costa (CAM). E foi ou não?

Em câmera lenta, a impressão pode ser outra. Na velocidade real, sem tirar a dinâmica verdadeira, eu não marcaria pênalti. E explico: Estar agarrando” ou “Puxar alguém” não são necessariamente faltas, pois elas só se consomem quando você impede o adversário de jogar. 

Na minha avaliação, o experiente atacante, quando sente o abraço adversário, desaba e cava. A arbitragem, iludida, erra e confirma o que não foi. Errou.

Jair Ventura critica arbitragem após derrota do Juventude para o Atlético-MG | LANCE!

Foto: Divulgação/Bruno Cantini/Juventude. Imagem extraída de: https://www.lance.com.br/juventude/jair-ventura-critica-arbitragem-apos-derrota-do-juventude-para-o-atletico-mg.html

– O acerto do VAR na anulação do gol em Fortaleza 1×0 Palmeiras.

Um corta-luz é um drible sem bola? Claro que sim. É diferente de um atleta correr da bola para manifestar que não quer participar do lance (esquivando-se sem interferir em ninguém).

Quando Patrick de Paula (SEP) chuta para o gol, Gustavo Gómez (SEP) está em posição de impedimento na frente do goleiro Marcelo Boeck (FOR) e atrapalha seu campo visual. Esse fato já é motivo para dizer que estava em impedimento ativo (que não significa necessariamente “tocar na bola”). Ao abrir as pernas (nesta situação específica, estando encobrindo o campo visual do adversário), há nova interferência.

Portanto, acertou o árbitro ao anular o gol (que seria de empate) no final do jogo.

  • Sem VAR, será que a decisão seria a mesma?

Palmeiras pode ter novo rodízio diante do Fortaleza; Veja as prováveis  escalações

Foto: Arquivo de https://www.minhatorcida.com.br/fortaleza-x-palmeiras-provaveis-escalacoes-34-rodada-brasileirao-2021

– Merecidos aplausos para Seneme.

Não gosto de bajular ninguém, pois acho que a correção deve ser obrigação. Já as críticas, em qual ramo forem, devem ser construtivas e respeitosas.

Digo isso pois quero elogiar Wilson Luís Seneme, o presidente da Comissão de Árbitros da Conmebol. Resistiu ao “fantasma” Carlos Alarcón (de tantos prejuízos à imagem da arbitragem Sulamericana, um dos homens que se perpetualizou no poder dentro da entidade), manteve-se sóbrio e trabalhando na difícil missão de renovar e capacitar os árbitros sulamericanos (veja Andrés Matonte, de apenas 33 anos, árbitro da final da Copa Sulamericana: um risco – mas que se reconheça a coragem de quem o escala).

Mais do que isso, a divulgação pública dos áudios do VAR e a suspensão aos árbitros Roberto Tobar e Andrés Cunha (o primeiro pela peitada em Neymar no Brasil x Colômbia, o segundo pela pipocada em não expulsar Otamendi em Argentina x Brasil).

Não é fácil tomar tais atitudes. Especialmente quando não se tem mão-de-obra qualificada e os seus melhores não correspondem. É como um time de futebol: o centroavante consagrado dá uma cavadinha irresponsável na cobrança de pênalti e sua displicência levará às críticas ao treinador por não conseguir hipoteticamente uma vitória. Da mesma forma, um medalhão deixa de dar um Cartão Vermelho a um zagueiro e a culpa respinga em quem o escalou.

Foto: Conmebol (divulgação), extraída de: https://www.conmebol.com/pt-br/wilson-seneme-o-compromisso-e-com-o-futebol-e-um-arbitro-deve-ir-em-busca-da-excelencia

– Os 3 erros de Andrés Cunha e sua equipe de arbitragem no Argentina 0x0 Brasil pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

Andrés Cunha, árbitro uruguaio semifinalista de Copa do Mundo, com final de Libertadores da América no seu histórico (Boca x River), e que será o VAR na final da Copa Sulamericana entre Athletico Paranaense x Red Bull Bragantino (já fiz minha consideração anterior: no apito, Cunha é bem melhor que o seu compatriota Andrés Matonte, que será o árbitro principal dessa decisão – texto em: https://wp.me/p4RTuC-ytp), pisou na bola em San Juan, na Argentina.

Me questiono: com tanta experiência e sendo tecnicamente muito bom, como pode cometer erros infantis no Argentina 0x0 Brasil?

São essas atuações estranhas, “a la” Carlos Amarilla ou Ubaldo Aquino, que me assustam…

Vamos lá:

1- Aos 33m minutos de jogo: Andrés Cunha não deu uma falta clara em Vinícius Jr, próximo à linha de fundo. O brasileiro é atingido claramente nas costas pelo seu marcador argentino (carga faltosa), não foi tranco legal (ombro-a-ombro), e o juizão estava bem posicionado. Ali, ficou a sinalização aos argentinos: “pode bater”. Aliás, aos árbitros estrangeiros, a imagem do brasileiro ainda é do “malandro que se joga”. Teria isso influenciado o árbitro?

2- Aos 38m, outro erro: na frente do árbitro assistente número 1, Matheus Cunha se livra legalmente dos marcadores e arma um excelente contra-ataque. Eis que o bandeira, inexplicavelmente, marca falta do atacante brasileiro (e é prontamente confirmada por Andrés Cunha). Como explicar? No replay, não se vê nada de ilegal (nem contato físico contra os defensores). 

3- Por fim, o lance que mais revoltou o torcedor brasileiro: a cotovelada de Otamendi, certeira, em Raphinha, que fez o jogador até sangrar (levou 5 pontos). Nada marcado, e nem sabemos o que o VAR Esteban Ostojich falou ao árbitro (Ostojich é um dos melhores árbitros da Conmebol, trabalhou naquela atuação irrepreensível em River 0x3 Palmeiras, expulsando argentinos em casa). Em campo, era fácil para o árbitro dar Cartão Vermelho ao defensor (repare que o árbitro estava novamente bem posicionado, e que o lance foi frontal ao bandeira que citamos acima). Com VAR, mais fácil ainda! E com outro fator importante: a FIFA pede atenção e rigor máximo desde 2020 aos lances de braço e mão no rosto de atletas nas disputas de bola.

Confesso: depois desse lance, fui dormir. Não tive mais estômago…

Argentina x Brasil: confira como foi a transmissão da Jovem Pan ao vivo | Jovem Pan

Imagem/ Arte extraída de: https://jovempan.com.br/esportes/futebol/argentina-x-brasil-assista-a-transmissao-da-jovem-pan-ao-vivo.html

– São Paulo x Flamengo: perguntar não ofende, certo Vuaden?

Vuaden acertou ao interpretar corretamente que David Luiz não cometeu pênalti a favor do São Paulo. Mas na sequência, o atacante são-paulino Calleri dá um carrinho frontal certeiro na perna do zagueiro flamenguista.

É o “be-a-bá da Regra do Jogo”: atingiu com jogo brusco grave, carrinho, força excessiva… mas incompreensivelmente, tendo visto o que ocorreu, o veterano árbitro aplicou Cartão Amarelo!

O São Paulo estava perdendo por 2×0 com gols relâmpagos, tinha praticamente o jogo inteiro pela frente e jogaria com 10 homens, lutando contra o rebaixamento… mas o que o juizão tem a ver com isso?

Não dá para crer que, estando com bom campo visual e veterano como é, Vuaden interpretou errado e por isso não deu o Vermelho. Não teria dado o Amarelo por… dó?

Repito: incompreensível. Viva o VAR pela correção.

São Paulo x Flamengo: veja onde assistir ao jogo do Brasileirão - Gazeta Esportiva

Imagem extraída de: https://www.gazetaesportiva.com/campeonatos/brasileiro-serie-a/sao-paulo-x-flamengo-veja-onde-assistir-ao-jogo-do-brasileirao/