– Tomara que o treinamento dos árbitros dê certo.

Cerca de 95 árbitros estão participando de uma intertemporada da arbitragem da CBF. São árbitros de campo, bandeiras e VARs, com toda espécie de treinamento.

O investimento, como se vê nesta matéria do GE.com, é alto. Valerá a pena?

Tomara que sim. Poderemos conferir a partir da próxima rodada se deu certo ou não. 

Em: https://ge.globo.com/futebol/noticia/2022/08/02/para-estancar-crise-do-apito-cbf-leva-arbitros-para-treinar-no-campo.ghtml

O árbitro Paulo Vollkopf checa o VAR sob o olhar de Wilson Seneme — Foto: Martín Fernandez

O árbitro Paulo Vollkopf checa o VAR sob o olhar de Wilson Seneme — Foto: Martín Fernandez

– A “regra que sempre muda” apareceu em Corinthians 0x2 Flamengo.

E se a bola bater no braço em jogada de gol, vale o gol?

Essa regra mudou 3 vezes recentemente. Antes, se uma bola batesse acidentalmente na mão e fosse para o gol, seria “gol válido de mão”. Depois ocorreram as mudanças! Foram as seguintes alterações para se marcar falta de ataque em lance de “mão na bola INVOLUNTÁRIO”:

Qualquer mão no ataque seria falta (intencional, antinatural ou casual) (2019/2020),

Somente em jogada resultante em gol, qualquer mão seria falta (2020/2021);

– Agora: lance imediato que resulte em gol da mão ou braço do finalizador (2021/2022)!

Como não foi toque no braço de quem finalizou, o gol do Flamengo foi válido. E somente não seria se o toque de braço fosse de movimento antinatural ou intencional.

Parabéns à boa arbitragem Argentina.

Imagem: print de tela.