– O que esperar de Wilmar Roldán no SPFC x Del Valle pela Sulamericana?

O que esperar de Wilmar Roldán na final da Sulamericana entre São Paulo x Independiente Del Valle?

Em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2022/09/24/analise-pre-jogo-da-arbitragem-de-wilmar-roldan-para-sao-paulo-x-independiente-del-valle-final-da-copa-sulamericana-2022/

Ou no vídeo em: https://youtu.be/myqHSKcoKR0

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Flamengo x Red Bull Bragantino.

Para o confronto do Mengão contra o Massa Bruta, a CBF escalou a seguinte equipe de arbitragem:

Árbitro: Anderson Daronco – FIFA/RS

Bandeira 1: Rafael da Silva Alves – FIFA/RS

Bandeira 2: Michael Stanislau – RS

Quarto-Árbitro: João Ênnio Sobral – RJ

VAR: Rodrigo D’Alonso Ferreira – SC

AVAR: Charly Wendy Straub Deretti – FIFA/SC

Analista de Arbitragem: Alício Pena Jr – MG

Assim como os demais FIFAs, Daronco está sendo escalado com constância (vide aqui: http://historicoarbitro.cbf.com.br/?id=866). Nos últimos 40 dias, foi convocado para 9 jogos pela CBF. Será a sua 6ª partida que ele apitará do Flamengo (nas últimas cinco: 3V, 1E, 1D), e a 2ª partida do Red Bull Bragantino (na única: 1 V). Tomara que ele esteja bem fisicamente.

A grande crítica que se faz ao árbitro gaúcho de 41 anos (natural de Santa Maria), é a questão de apitar um número excessivo de faltas, “picando o jogo”. Depois da inter-temporada dos árbitros, ele melhorou bastante, atendendo a orientação de Wilson Seneme (solicitada pela FIFA e replicada pelas federações) de aumentar o tempo de bola rolando e discernir as faltas cavadas das faltas reais.

Torcerei para uma boa arbitragem e um grande jogo!

Acompanhe conosco o jogo do Flamengo X Red Bull Bragantino pela Rádio Futebol Total, acessando:
YouTube: https://www.youtube.com/c/CANALDOLOREDO, ou
Facebook: https://www.facebook.com/radiofuteboltotalbraganca, ou
Twitter: https://twitter.com/radiodaverdade,
ou ainda pelo site: http://radiofuteboltotal.com.
Narração de Sérgio Loredo, reportagens e comentários de Sílvio Loredo, análise da arbitragem com Rafael Porcari. Sábado, 01/10, 19h00. Mas desde às 18h00 estaremos no ar para levar a melhor transmissão para você!

– Análise da Arbitragem de Atlético Mineiro 0x1 Palmeiras.

Gostaria de observar 3 situações envolvendo o jogo entre o Galo e o Verdão ontem. Vamos lá:

Lance 1: 73m: Atuesta (SEP) entra na área e é calçado por Mariano (CAM). A questão é: foi atingido no pé, estando ele dentro ou fora da área?
DENTRO, pois é onde se consome a infração, e a linha demarcatória faz parte da área penal. Pênalti não marcado, que deveria ter revisão do VAR Rodrigo Carvalhaes. Errou a equipe de arbitragem.

Lance 2: 87m: Mariano (CAM) vai disputar a bola com Rafael Navarro (SEP). O atleticano escorrega e a bola sobra para Breno Lopes (SEP) que faz o gol. Gol legal, mas Marcelo de Lima Henrique entende que Navarro fez falta em Mariano e anula o tento. Errou também nesse lance, e repare: o árbitro estava longe da jogada, e na falha do zagueiro, não correu e já apitou a infração. Na várzea, se chama “perigo de gol”. A impressão é que, com 51 anos de idade, respeitosamente, Marcelo estava sentindo o cansaço no final da partida.

Lance 3: Aqui, mais uma observação pertinente sobre o contexto do “plano de arbitragem”: em alguns momentos, algumas faltas foram ignoradas, e isso resulta da necessidade de ter tempo de bola rolando e diminuir o número de infrações na partida. Mas para fazer isso, precisa ter cuidado, senão a partida fica violenta (é o Estilo Vuaden, que deve ser utilizado na dose correta). Porém, no fim do jogo, mudou-se o estilo de arbitragem para um jogo mais travado (insisto: provavelmente pelo cansaço). Isso não foi legal… Marcelo é experiente e veterano árbitro, e ali precisou segurar a partida para dar conta do recado. Uma pena.

Em tempo: ao citar o “Estilo Vuaden” (que eu gosto), de deixar o jogo correr e ignorar faltas cavadas e disputas de bola com contato físico leve, corre-se o risco de deixar de marcar faltas reais! A questão é: a dosagem exata! Em Internacional x Red Bull Bragantino, aconteceu a mesma coisa, com o árbitro Wagner Magalhães apitando pouquíssimas faltas, e as infrações reais começaram a acontecer e foram ignoradas, irritando Barbiéri e Mano Menezes. Vide aqui: https://professorrafaelporcari.com/2022/09/28/analise-da-arbitragem-de-internacional-0x0-red-bull-bragantino/
.
No futebol, desejar mais tempo de bola rolando não é simplesmente deixar de marcar faltas. E se conseguir isso, há de se tomar cuidado para não cansar – e nisso, o condicionamento físico é necessário. Aqui, baterei numa tecla: Seneme está usando os FIFAs e Masters nos últimos jogos à exaustão, a fim de evitar críticas. Será que os árbitros não estão desgastados? Vide o próprio Marcelo, com 34 jogos em 150 dias aproximadamente, estando acima de 50 anos: http://historicoarbitro.cbf.com.br/?id=386

Atlético-MG x Palmeiras: veja onde assistir, escalações, desfalques e  arbitragem | brasileirão série a | ge

Extraído de: https://ge.globo.com/mg/futebol/brasileirao-serie-a/noticia/2022/09/28/atletico-mg-x-palmeiras-veja-onde-assistir-escalacoes-desfalques-e-arbitragem.ghtml

– Análise da Arbitragem de Internacional 0x0 Red Bull Bragantino.

Jogo chato para apitar no Beira-Rio, com uma razoável arbitragem (poderia ser bem melhor).

A todo instante os atletas gaúchos reclamavam de faltaprincipalmente motivados por Mano Menezes. Wagner Magalhães não marcou as faltas simuladas, as faltinhas leves e nem algumas faltas mais viris que deveriam ser marcadas (dando razão à algumas queixas de Mano e Barbieri). Foi uma arbitragem à europeia com comportamento de atletas à sulamericana; porém, com o defeito de fazer vista grossa para as infrações desprezadas. Tanto que só tivemos 7 faltas e 1 Amarelo (correto) para Artur no primeiro tempo. E uma curiosidade: nos primeiros 45 minutos, foram apenas 2 faltas do Colorado, e com 5 minutos do segundo tempo, Wagner já tinha marcado 3 do Internacional. Desproporcional / irregular…

Um erro primário aos 15m: o árbitro deu uma vantagem ao Red Bull Bragantino, mas ela virou somente posse de bola por alguns instantes, pois existiam 3 marcadores para roubar essa posse. A “vantagem” muitas vezes é marcar a falta, não ter o domínio. Deveria marcar a falta vencida, já que a vantagem não se concretizou. E aos 66m, “errou ao contrário”: falta marcada a favor do Internacional, tendo Pedro Henrique com vantagem e caminho livre.

No segundo tempo, temi com o “excesso de permissão” para o jogo correr. Felizmente o árbitro começou a apitar mais faltas.

Dosar o outrora chamado “Estilo Vuaden” é para pouco.

Internacional x Bragantino: confira onde assistir e prováveis escalações!

Imagem extraída de: https://sportbuzz.uol.com.br/noticias/agenda/internacional-bragantino-confira-onde-assistir-e-provaveis-escalacoes.phtml

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Internacional x Red Bull Bragantino.

Para o confronto do Massa Bruta contra o Colorado no Beira-Rio, apitará o mesmo árbitro que apitou esse jogo no 1º turno: Wagner Magalhães (derrota por 2×0). Recentemente, o árbitro apitou a vitória por 3×0 contra o América/MG no Independência (vide aqui a boa arbitragem nessa partida: https://wp.me/p55Mu0-33I).

Já abordamos em outra ocasião o histórico do juizão: costumava parar bastante o jogo, mas recentemente tem deixado as partida fluirem bem – mas ainda economiza cartões.

Por ser experiente, creio que não teremos problemas na partida. Abaixo, a “equipe do apito”:

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães – FIFA/RJ

Bandeira 1: Thiago Henrique Farinha/RJ

Bandeira 2: Márcia Bezerra Caetano/RO

Quarto Árbitro: Jonathan Benkenstein Pinheiro/RS

VAR: Pablo Gonçalves Pinheiro – FIFA/RN

AVAR: Flávio Barroca/RN

Acompanhe conosco o jogo do Internacional X Red Bull Bragantino pela Rádio Futebol Total, acessando:
YouTube: https://www.youtube.com/c/CANALDOLOREDO, ou
Facebook: https://www.facebook.com/radiofuteboltotalbraganca, ou
Twitter: https://twitter.com/radiodaverdade,
ou ainda pelo site: http://radiofuteboltotal.com.
Narração de Sérgio Loredo, reportagens e comentários de Sílvio Loredo, análise da arbitragem com Rafael Porcari. Quarta-feira, 28/09, 21h45. Mas desde às 20h45 estaremos no ar para levar a melhor transmissão para você!

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem de Wilmar Róldan para São Paulo x Independiente Del Valle (Final da Copa Sulamericana 2022).

Faltou força política para o Tricolor do Morumbi na Conmebol. Ao menos, para quem é supersticioso, a escala da arbitragem para a decisão da Sulamericana não poderia ser pior.

Acontece que Wilmar Roldan (escalado para a final) e São Paulo FC não combinam. Há árbitros que não conseguem ter aceitação com certos clubes, e escalá-los (mesmo existindo outros nomes disponíveis) se torna um erro.

O árbitro colombiano tem 42 anos e desde os 28 anos está no quadro da FIFA. Não foi chamado para a Copa do Mundo de 2022 (e na de 2018, foi mandado embora para casa “cedo demais”, por desprezar o VAR na partida Inglaterra x Tunísia – ele se recusou a ver lances polêmicos, quando chamado). No ano seguinte, pelo Campeonato Colombiano, provavelmente de maneira proposital e por ironia, fez sinal que iria consultar o VAR num lance polêmico – sendo que não tinha VAR naquele jogo.

Provavelmente, Roldán estará na final como “prêmio de consolação”. Afinal, a Conmebol gosta dele, e trabalhou bem em Palmeiras x Atlético Mineiro e Velez x Flamengo pela Libertadores. Nas duas oportunidades, questionamos qual Roldán entrará em campo: o experiente juiz que não se deixa levar por reclamações, ou o juiz que abusa da autoridade e cria reclamações dos atletas?

Na memória recente, uma má arbitragem ruim, em Equador 1×1 Brasil (jogo de extrema polêmica): https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2022/01/28/as-6-situacoes-discutiveis-da-arbitragem-de-wilmar-roldan-em-equador-1×1-brasil/

Também relembremos: as derrotas do São Paulo para o Talleres (2019) e para o Arsenal de Sarandí (2013), que foram repletas de queixas desde racismo até expulsões discutíveis. Aqui: https://professorrafaelporcari.com/2019/02/06/wilmar-roldan-no-talleres-x-sao-paulo-mas-ele-ainda-e-top/. Some-se a questão envolvendo as ofensas reclamadas na derrota contra o Libertad (2011). Por fim, mais uma derrota, na eliminação contra o Palmeiras no ano passado pela Libertadores – essa, sem queixas contra ele, que foi bem.

Tomara que entre em campo o “Wilmar bom“!

Wilmar Roldan England Tunisia World Cup

Imagem: Getty Images

– Vai abrir o microfone dos árbitros?

Há muito se discute que os microfones dos árbitros fossem abertos e as conversas com assistentes e VAR ouvidas pelo público. Algo difícil de se acontecer…

Acontece que à Folha de São Paulo, para Alex Sabino, (vide o link aqui: https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2022/09/seneme-defende-arbitragem-do-brasil-e-pretende-torna-la-mais-transparente.shtml), Wilson Seneme se disse favorável à medida, e que se a FIFA autorizar, o Brasil será pioneiro nisso.

Tudo bem! É legal isso, mas…

  • Não seríamos nós os pioneiros a ter o VAR em nossos campeonatos? E não fomos….
  • Não seríamos os primeiros a divulgar áudios do VAR depois da partida? E não fomos…
  • Não seríamos os vanguardistas na formação de árbitros exclusivamente para o quadro do VAR? Demoramos tanto e fizemos tão mal, que nem árbitro de vídeo irá para a Copa do Mundo…
  • Não seremos pioneiros a ter a tecnologia de impedimento semi-automático no Brasileirão, e, por todo o histórico, não seremos também escolhidos para abrir o microfone nos jogos (por todo o histórico).

E você, o que acha da ideia? Deixe seu comentário:

Meme extraído de: https://esporte.ig.com.br/futebol/2019-05-23/var-em-acao-confira-os-melhores-memes-sobre-arbitro-de-video-na-web.html

– A expulsão de Abel no clássico Palmeiras 1×0 Santos.

Nova expulsão do treinador Abel Ferreira. Nova entrevista reclamando da arbitragem. Nova série de lamentos e suposições de que “é tudo contra ele”.

Bobagem. Abel reclama acima do que acontece na realidade (mesmo com arbitragens ruins) e passa do ponto. Ele não tem a noção real do limite de até onde pode pressionar o árbitro ou seus assistentes. Alguém acredita que ele teria esse comportamento na Premier League?

Me recordo de Telê Santana. Seu Telê reclamava o jogo inteiro com o bandeira, ficava ao pé-do-ouvido falando com o assistente sem teatralizar as queixas ou ficar gritando palavrões. Quem viveu os anos 90, se lembra que Valter José dos Reis, assistente da FIFA que por muitos anos trabalhou nos principais jogos do Brasil, era constantemente escalado como bandeira 1 no Morumbi. Motivo: sabia “ser surdo” com o Telê… pois ele queria, muitas vezes, atenção!

Abel gesticula, fala o que quer, pressiona de todas as formas. Se não existisse a expulsão por segundo amarelo, em várias partidas Abel tomaria 3 ou 4 cartões num único jogo… ele não permite que o bandeira seja “surdo como o Valter” era. Até porquê quando ele ameniza nas queixas, a sua comissão técnica reveza nas reclamações.

Para um treinador tão competente e jovem como o português, há tempo para corrigir o mau comportamento.

Confira como foi a transmissão da Jovem Pan do jogo entre Palmeiras e Santos  | Jovem Pan

– O cartão de Pedro Raul: o que é provocar o adversário ou a torcida?

Não pude assistir os jogos de sábado e domingo à tarde do Brasileirão, mas na rodada em que Wilson Seneme tentou dar uma oxigenada nas escalas e colocou jovens árbitros (como no jogo do Botafogo com Paulo Zanovelli / MG, de 32 anos, que provavelmente irá para o quadro da FIFA no ano que vem – de maneira precoce – ou como Maguielson Lima Barbosa / DF, de 30 anos, no jogo do São Paulo), mesclando com experientes FIFAS (Daronco no CAP, Edina no AGO, Claus no Flamengo-Flu, Wilton no Santos x Palmeiras e Bruno Arleu no Corinthians), muitas queixas.

A única partida que consegui ver o lance polêmico: o árbitro José Mendonça da Silva Jr / PR no Red Bull Bragantino 1×1 Goiás, amarelando Pedro Raul por comemorar o gol com a mão na orelha (aliás, nenhuma advertência para o Massa Bruta, e 5 amarelos para o time esmeraldino). Acertou ou errou?

Entenda: na súmula, o árbitro relatou que o fato ocorreu por provocar a torcida. Mas o que é “provocar a torcida”?

É muito comum vermos atletas colocando a mão na orelha simbolizando “quero ouvir gritar” (tanto para a sua torcida, como festejo, quanto para o adversário, como desabafo). Se não passar disso, não pode dar cartão amarelo. Seria advertência caso o jogador fizesse isso gesticulando de maneira ofensiva (como gritando contra alguém, mandando “vir pra dentro”, ou outras situações). No relato do árbitro, só foi escrito “provocar”, sem especificar.

Também na súmula há a anotação de gritos homofóbicos de “viadinho” contra Pedro Raul (conforme anotado no documento) por parte da torcida da casa. Como o próprio árbitro disse que ele não ouviu, mas foi alertado pelo 4º árbitro, não deve existir punição relevante (o próprio Red Bull Bragantino lamentou o fato e prometeu providências).

Uma observação final: árbitros estão “caçando pelo em ovo” (como na comemoração do gol), e os mesmos não ouvem os gritos (como na manifestação da torcida). Tá tudo errado , não?

Mão que mostra o cartão vermelho amarelo isolado

Extraído de: https://pt.dreamstime.com/foto-de-stock-mão-que-mostra-o-cartão-vermelho-amarelo-isolado-image41005175

– Querem acabar com o futebol: o racismo ao Vinícius Jr.

Nos estádios, “não pode isso, não pode aquilo, não pode nada”.

Nos campos, certas coisas proibidas podem ser discutidas. Mas há exageros de quem não entende de regra, de espírito do jogo e confunde a reação natural com militarismo regrado ao último grau.

Nesta semana, Neymar levou um absurdo cartão por comemorar um gol com sua tradicional careta. Difícil justificar na súmula o motivo da advertência.

Agora, o presidente da associação de agentes espanhóis, Pedro Bravo, criticou a comemoração de Vini Jr, chamando-o de macaco (simplesmente por ele dançar).

Ronaldinho Gaúcho, por essa lógica, seria proibido de jogar futebol…

Onde vamos parar? 

SAMBE SIM, Vini Jr. Aliás, o atacante brasileiro é um humilde jogador, boa praça e de ótimo caráter. Isso se chama intimidação!

Extraído de: https://placar.abril.com.br/futebol-europeu/comentarista-espanhol-compara-vini-jr-a-macaco-ao-criticar-comemoracao/

COMENTARISTA ESPANHOL COMPARA VINI JR A MACACO POR COMEMORAÇÃO

Pedro Bravo, presidente da Associação de Agentes Espanhóis, atacou atacante brasileiro, destaque do Real Madrid

Da Redação

O brasileiro Vinicius Júnior, em grande fase no Real Madrid, vem sendo contestado por parte da imprensa espanhola por alguns dribles e comemoração com danças. O debate, no entanto, extrapolou o limite do respeito na noite desta quinta-feira, 15, quando Pedro Bravo, presidente da Associação de Agentes Espanhóis, comparou o atacante a um macaco, no programa El Chiringuito, da emissora Mega, um dos mais populares da Espanha.

Em um debate causado pela fala de Koke, referência do Atlético de Madri, sobre possível briga em razão de uma dança de Vini no clássico do próximo domingo, 18, o comentarista espanhol atacou o brasileiro. “Você (Vinicius) tem que respeitar o rival. Quer dançar, vá ao sambódromo, no Brasil. Aqui tem que respeitar os companheiros e deixar de fazer o macaco.”

A fala repercutiu rápido nas redes sociais e já viralizou no Brasil. Usuários acusam o espanhol de racismo. A comparação de negros a macacos é comum em atitudes discriminatórias e se enquadra como racista, por comparar humanos a um não-humano em razão da cor da pele, segundo o Portal Geledés, organização que atua na luta contra os preconceitos no Brasil.

Minutos depois, Pedro Bravo voltou ao ar e pediu desculpas. O programa esportivo de maior audiência seguiu normalmente. Esta não é a primeira vez que o assunto Vinicius entra em pauta na Espanha na semana. O atacante segue sendo alvo de muitas críticas e ataques.

Tendo em vista a repercussão, Bravo se pronunciou por meio do Twitter. O agente se justificou: “Quero esclarecer que a expressão ‘fazer o macaco’ que usei  para descrever a dança de comemoração do gol de Vinicius foi feita metaforicamente. Como minha intenção não era ofender ninguém, peço sinceras desculpas. Sinto muito!”

Vinícius Júnior encerra a temporada como protagonista do Real Madrid

Vinicius brilha na Espanha, incomoda imprensa e é chamado de macaco – Javier Soriano/AFP