– A melhor versão de Wilton Sampaio no Maracanã para Flamengo x Corinthians.

Quando foi definida a final da Copa do Brasil entre Corinthians x Flamengo, já era esperado que Wilton Pereira Sampaio apitaria a finalíssima. Afinal, sendo dois jogos, a lógica era escalar os dois árbitros da FIFA que vão para a Copa do Mundo. Mas já que Raphael Claus é paulista, seria um FIFA não-paulista e não-carioca para o jogo de ida, e Wilton na volta.

Wilton está em sua melhor fase da carreira. Antes oscilante e irregular, à medida que seu nome foi se solidificando em 2021 como possível Mundialista, começou a deixar o jogo correr mais. E eu me recordo que após ser indicado para o Catar 2022, entrou em campo horas depois para apitar Grêmio x Criciúma e trabalhou excepcionalmente bem. Estava motivado, confiante, com autoridade na medida certa, “apitando à inglesa”. Excelente!

Creio que fará um bom trabalho, mas veja que curioso:

É claro que depois de tanto tempo, Wilton Sampaio já apitou várias partidas entre as duas equipes, sem problemas relevantes.

Foto: César Greco / Palmeiras.

– A intolerância das arquibancadas com os desabafos do campo.

Problemas pós-comemoração de gol em Sport x Vasco; confusão no Ceará x Cuiabá; e, em ambas situações, invasão de campo e violência.

O futebol está “pilhado demais”, nervoso e intolerante. Parece que existe a obrigação do clube vencer a qualquer custo e do adversário entrar e sair mudo de campo. As decisões dos árbitros são contestadas a qualquer custo (veja como se comportaram mal os atletas do SPFC na hora do juizão ir ao monitor do VAR em: https://wp.me/p4RTuC-HbL). Até mesmo as brincadeiras e gozações dos torcedores comuns são questionadas (um exemplo do dia-a-dia em: https://wp.me/p4RTuC-HcC).

A verdade é: nada pode mais! A simples comemoração de um gol passou a ser algo “regulado”. Se alguém põe a mão na orelha e passa pelo adversário, como gesto de desabafo, parece ter virado uma ofensa condenável! Não é isso… o jogador deve ser punido se cometer um gesto obsceno ou irresponsável. Me recordo de um jogo do SPFC x Vasco, onde Romário estava sendo vaiado e ao marcar um gol, passou pela torcida com o dedo na boca simbolizando que estava mandando ela ficar quieta. Normal. Na mesma semana, apitei pela A2 Paulista um jogo entre Rio Claro x Primavera, e naquela ocasião, o centroavante fez o gol, correu para a torcida adversária, segurou as partes íntimas “sacolejando” para a arquibancada e desferiu um repertório vasto de palavrões. Aí foi Cartão Vermelho e o cuidado para que ele não fosse agredido pelos jogadores do time da casa, além do pedido à PM para evitar uma invasão a campo.

Percebeu o que é desabafo, comemoração normal e ato irresponsável? São coisas diferentes, mas que nos dias atuais (talvez como reflexo da sociedade), tudo esteja no mesmo balaio.

O esporte (para o torcedor) deve ser ludismo e lazer. Se for para ficar irritado ou nervoso, não vá ao campo.

Aguardemos as punições do STJD.

Jogo entre Ceará e Cuiabá é encerrado na Arena Castelão após confusão entre torcedores — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares

Imagem extraída de: https://g1.globo.com/ce/ceara/noticia/2022/10/16/jogo-entre-ceara-e-cuiaba-e-encerrado-na-arena-castelao-apos-confusao-entre-torcedores.ghtml (Jogo entre Ceará e Cuiabá é encerrado na Arena Castelão após confusão entre torcedores — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares).