– Os 4 tópicos de Red Bull Bragantino 0x2 Santos FC.

Na derrota do Massa Bruta para o Peixe (que começou o jogo bem e depois se perdeu), algumas observações técnicas, táticas e da arbitragem:

1- Substituição de Luan Cândido: o lateral era artilheiro do time, e caiu em desgraça após o pênalti cometido no início do jogo contra o Flamengo. Naquela oportunidade, o time jogou praticamente uma partida inteira com um homem a menos, numa situação evitável. Na volta da suspensão, o treinador Barbiéri o deixou na reserva, alegando que ele não conseguia ajudar na defesa e também por “não ter gostado do Cartão Vermelho recebido” (palavras do técnico). No jogo de ontem, após ser substituído, Luan não cumprimentou o treinador e mostrou o dedo do meio à torcida.

2- Madson simula ter sido derrubado na área por Ramon, e não foi nada. O árbitro marcou e depois desmarcou o pênalti. O lance bizarro é que o pênalti foi cobrado, o goleiro tentou defendere nada estava valendo pois o árbitro tinha ido à cabine do VAR.

3- Lucas Evangelista: recebeu um Cartão Vermelho de maneira correta, em um desnecessário carrinho nos acréscimos da partida, em Madson. Pra quê, Lucas?

4- Paulo Zanovelli é um jovem árbitro de 32 anos, promissor, e que está sendo trabalho para preencher a lacuna de não ter árbitro de Minas Gerais no quadro da FIFA. Talvez receba o escudo em 2024 (não tem aptidão nem competência para já em 2023). Nos jogos que trabalhei dele, falei sobre o bom potencial e a necessidade de ser bem orientado. Mas ele precisa melhorar a comunicação e a questão técnica. No lance de Ramon e Madson, ele estava muitíssimo bem posicionado, com o lance aberto, e marcou um pênalti que não foi nada. Talvez a imagem do VAR no monitor não fosse tão boa quanto ao posicionamento privilegiado que ele tinha dentro de campo. Assim, há de melhor isso. E quando foi ao VAR, ele deve ter ciência de que o jogador que está se preparando para cobrar e o goleiro pronto para defender, devem ser os primeiros a entender que está tudo parado, pois ele foi à cabine exatamente quando deu a entender que autorizaria a cobrança.

Sobre o Red Bull Bragantino: é sabido de que os jovens atletas, que recebem muito bem e têm uma infraestrutura invejável, acabam caindo às tentações. Se não se policiarem e forem responsáveis, sucumbem à vida noturna e às baladas (apesar de ser uma cidade de porte médio do Interior, tem uma noitada agitada por ser uma cidade universitária, além do padrão elevado pelos diversos empreendimentos locais). Até alguns mais experientes já saíram do clube, e a tendência é que exista uma reformulação no elenco, de maneira gradativa.

Maurício Barbiéri tem contrato até o final do ano. Penso que o cumprirá até o fim, embora seja criticado (em alguns momentos, com razão). Parece-me que o “caldo azedou” após a derrota por 3×0 contra o São Paulo, quando na entrevista dele sobre a saída de Ytalo, deixou a cargo de uma decisão da diretoria.

Enfim: quem o substituiria (caso ele saia)? Marcinho é auxiliar técnico, e se for um nome caseiro, será o de Fábio Matias, do Sub 23, que veio do Flamengo e é um estudioso do futebol (que ministra cursos e que é considerado um promissor treinador, acima da média). Lembrando que é justamente esse perfil o usado pelo RB Leipzig e RB Salzburg: jovens talentosos.

Curiosidade: desde que o Bragantino foi adquirido pela Red Bull, dos 4 grandes paulistas, o único que ele não conseguiu vencer até hoje foi o Santos. 

Compartilho esse vídeo do Sérgio Loredo, num desabafo preciso: https://www.youtube.com/clip/UgkxChvJTiKN_CLH8pcBsOam2S8uCi6KPPfA

Santos x Bragantino: veja onde assistir, escalações, desfalques e arbitragem | brasileirão série a | ge

Imagem extraída de G1.com