– 4 perguntas para São Paulo 1×2 Corinthians:

Quatro coisas a serem discutidas, após o Majestoso:

1) Por quê o São Paulo tem 8 estrangeiros contratados, se só é permitido colocar 5 deles entre titulares e reservas num jogo? Não foi falta de planejamento?

2) Giuliano Galoppo, que tem sido o melhor jogador do Tricolor no Paulistão, ficou fora do clássico por opção (ainda na questão envolvendo o número de estrangeiros), mas Orejuela foi titular. O CT de Cotia, tão aplaudido, não foi capaz de “fabricar” nenhum pé-de-obra que seja razoavelmente competente para jogar pela Lateral Direita?

3) Roger Guedes, que por muitas vezes é criticado no Corinthians, jogou um primeiro tempo irretocável. Correu demais, driblou os zagueiros e infernizou a zaga são-paulina. É mais mérito do atacante ou demérito da defesa adversária?

4) A demora na validação do primeiro gol corintiano: eu me envergonho quando vejo um impedimento que é marcado errado, sendo a olho nu perceptível, e o VAR levar quase “meia hora” para corrigir. Ontem, a árbitra de vídeo abusou da paciência do telespectador… Deu tempo pra ir no banheiro, e se bobear, de passar na cozinha e fazer uma pipoca. Ninguém se incomoda mais com isso, pois nos acostumamos com esse tipo de situação?

Imagem: Google Statistic

– O áudio de Palmeiras x Flamengo.

Coisas que acontecem na vida e no futebol: quando um cara está doente e não aceita o diagnóstico médico, fica procurando outros médicos que digam o que ele queira ouvir. No esporte, quando o cara não concorda com um lance de arbitragem que vai contra o desejo do seu time, procura algum comentarista até encontrar quem tenha dito o que ele quer escutar.

E nessa esteira, segue o áudio do VAR. Quando é contra o seu time, “invalida”. Quando é a favor, bate palmas e elogia.

Sobre o 4º gol do Palmeiras contra o Flamengo, Rodrigo D’Alonso, o VAR, disse sobre Mayke em lance de Santos:

“Não atrapalha [o goleiro], ele [Santos] tira a mão sem questionamento nenhum. Não atrapalha em nenhum momento, tá? Bola extremamente longe dele, tá? Não tem nenhuma interação que interfira nele. Ele [Mayke] está atrás”.

Eu não vi isso e expliquei em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2023/01/28/o-gol-de-gabriel-menino-foi-irregular-em-palmeiras-4×3-flamengo/

E em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2023/01/29/explicando-didaticamente-o-motivo-de-mayke-ficar-em-impedimento-ativo-no-lance-de-santos/

Em: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2023/01/29/cbf-divulga-audio-do-var-sobre-gol-do-titulo-do-palmeiras-nao-atrapalha.htm?

Imagem: Ettore Chiereguini/AGIF

– Explicando didaticamente o motivo de Mayke ficar em impedimento ativo no lance de Santos.

A grande confusão que muitos estão fazendo, devido a um profissional comentarista de arbitragem ter dito (equivocadamente) que Mayke (SEP) não impediu a defesa do goleiro Santos (CRF), e que a regra não diz que precisa tocar ou não o adversário, é o que causa tanta discórdia entre torcedores nas Redes Sociais nesse momento.

Há um equívoco nessa fala!

Entenda: você interferir contra um adversário não quer dizer necessariamente “tocar“. E se você tocou, interferiu diretamente, pois a posição era de impedimento passivo e ao realizar um toque se tornou ativo.

Talvez muitas pessoas estejam confundindo com a mudança de orientação do AGARRÃO, e achando que ela vale para o impedimento! Esclareço:

  • Se um jogador está agarrando a camisa de um adversário, e isso não atrapalha a continuidade da jogada, não é mais falta (só será se ele desequilibrar ou impedir a sequência do lance de maneira clara).

O que as pessoas estão confundindo:

Isso não tem nada a ver com impedimento. Se um jogador está em impedimento passivo, ao se mexer, buscando disputar a bola (tocando ou não nela), ou se interferir contra um adversário (tocando ou não nele), é impedimento. Isso independe se o goleiro poderia ou não fazer a defesa, mas sim a respeito de estar em uma posição irregular e participar do lance. E dentro do espírito da regra, é ÓBVIO que se tocar no adversário, tornou-se ativo no lance.

Para quem tiver dúvida: veja a posição de Mike desde o momento que ele entra em POSIÇÃO DE IMPEDIMENTO, e daí em diante, até o momento da defesa (não vale ver somente o momento do gol, mas, repito, DO INÍCIO DA POSIÇÃO).

Tudo isso seria resolvido se Mayke, atento, manifestasse claramente o desejo de não participar do lance (hoje são raros os jogadores que entram no gol ou saem do campo para demonstrarem que não querem participar da jogada).

Nos anos 70, na hora do chute, o bandeira já teria erguido seu instrumento. Nos anos 90, respiraria fundo, contaria até 3 e ergueria a bandeira, caso a bola fosse para o gol. Hoje, ele ergue a bandeira e espera o VAR chamar o árbitro para revisar tal lance e anular.

Por fim, circulam vários recortes da Regra do Jogo pela Web. Mas não vi esse, bem claro, que mostra o impedimento:

– O gol de Gabriel Menino foi irregular em Palmeiras 4×3 Flamengo.

Só há pouco eu vi os gols de Palmeiras 4×3 Flamengo, e me surpreendi: o 4o e decisivo gol, de Gabriel Menino, foi irregular (e não observei muitos colegas repercutindo).

Entenda: se a bola vai direto para o gol com Mayke (que está em posição de impedimento passivo) demonstrando que não quer jogar ou participar do lance, o gol é legal. Mas ele está ao lado do goleiro Santos e o impactando (sim, essa é a palavra: causando impacto, pois ele toca o goleiro do Flamengo). Dessa forma, ele sai do impedimento passivo para o ativo por interferir contra um adversário.

Reforço: Mike não atrapalha o campo de visão do goleiro, mas ele, estando impedido, ao tocar / ser tocado, saiu do passivo para o ativo, fazendo com que o gol se tornasse irregular.

É lance interpretativo, que o VAR não poderia decidir, mas sim chamar o árbitro. E tem árbitro de vídeo, bandeira de vídeo, assistente de auxiliar de vídeo…

– Análise Pré-Jogo para Red Bull Bragantino x Santo André.

Já falamos das conservadoras escalas da FPF nos jogos de times grandes nesse Paulistão. Vide em: https://professorrafaelporcari.com/2023/01/27/a-fpf-nao-vai-arriscar-lancar-nenhum-arbitro-no-paulistao-as-escalas-da-rodada-5/.

Pois bem: nos jogos do Red Bull Bragantino contra times que não sejam os “grandões da Capital”, árbitros mais jovens estão sendo escalados. E para o jogo contra o Santo André, um juiz que já tem boa experiência e está com a carreira consolidada na primeira divisão, embora não seja escolhido para jogos do Brasileirão: Thiago Scarascati.

Neste ano, Scarascati apitou Portuguesa 0x2 Botafogo, Corinthians 3×0 Água Santa e Ituano 1×3 Palmeiras. Em jogos do Red Bull Bragantino no ano passado, apitou a vitória em casa contra o Guarani (1×0) e a derrota para o Corinthians na Neo Química Arena por 1×0.

Desejo um bom jogo e grande arbitragem.

A escala em completa em:

Red Bull BragantinoXSanto André

Árbitro: Thiago Luis Scarascati
Árbitro Assistente 1: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa
Árbitro Assistente 2: Raphael de Albuquerque Lima
Quarto Árbitro: Guilherme Francisco Maciel da Silva E Rosário
VAR: Vinicius Furlan
AVAR1: Amanda Pinto Matias
Observador VAR: Antonio Rogério Batista do Prado
Quality Manager: Paulo Ricardo Alves de Oliveira
Analista de Vídeo: Douglas Perrone Katayama
Técnico de Garantia FPF: Paulo Milanesi
Operador de Replay: Paulo Pereira
Técnico de Garantia Estádio: Gustavo Xavier
Acompanhe conosco o jogo Red Bull Bragantino x Santo André, pela Rádio Futebol Total, acessando o App na sua Play Store / App Store, ou:
YouTube: https://www.youtube.com/c/CANALDOLOREDO, ou
Facebook: https://www.facebook.com/radiofuteboltotalbraganca, ou
Twitter: https://twitter.com/radiodaverdade,
ou ainda pelo site: http://radiofuteboltotal.com.
Narração de Sérgio Loredo, comentários de Lucas Salema e reportagens de Pietro Loredo. Sábado, 28/01, 20h00. Mas desde às 19h00 estaremos no ar para levar a melhor transmissão para você, torcedor!

– A FPF não vai arriscar lançar nenhum árbitro no Paulistão? As escalas da Rodada 5:

A FPF não quer arriscar mesmo. Formar árbitros, graduá-los paulatinamente até chegar a um clássico e se firmar – esse é o processo ideal de lançamento de um juiz de futebol.

De novo, em jogo importante e/ou partida mais cascuda, arbitragem da FIFA e aspirante da FIFA na escala. Não iremos revelar ninguém mesmo, pois não se dá oportunidade.

O Santos FC terá Flávio Rodrigues de Souza, da FIFA. E para o jogão São Paulo x Corinthians, teremos Raphael Claus. Nada de arriscar alguém com potencial que esteja merecendo…

No ano passado, quiseram testar Matheus Candançan (de 23 anos) num Derby, em momento inapropriado. Porém, nesta fase do campeonato, que dá para colocar um nome novo, não o fazem. Que medo que os cartolas do apito têm dos dirigentes dos clubes… ou não sabem revelar?

Aliás, que Paulistão estamos tendo, não? Jogos ruins, mas a lógica prevalecendo. Passado de ⅓ da fase de grupos, os líderes são: Red Bull Bragantino, São Paulo, São Bento (seguido pelo Corinthians) e Palmeiras.

Abram o olho, Peixe e Lusa…

Com transmissão para todo o Brasil, Paulistão anuncia novidades para 2023 - MKT Esportivo

Imagem: Arte da FPF.

– O Rio de Janeiro vai contra a FIFA e cria “nova Regra do Futebol”.

Na semana passada, em Wembley (Inglaterra), a IFAB descartou paralisar o relógio dos árbitros para ter mais tempo de bola rolando e determinou: acrescente-se tempo-extra, aos moldes da Copa do Mundo.

Falamos sobre esse assunto em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2023/01/19/e-nas-discussoes-da-international-board-resolveu-se-que/

Mas no Rio de Janeiro, vivemos um mundo à parte…

Com o Campeonato Carioca em andamento, a FERJ resolveu mudar as Regras do Futebol! A cada intervenção do VAR, a partir da próxima rodada, o árbitro vai parar o cronômetro. E a orientação é: não dê tempo-extra como no Mundial do Catar!

Pasme: os cartolas parecem querer contrariar tudo o que foi determinado, e pior: com a bola rolando! Algumas rodadas apita-se uma regra, nas outras, outra regra!

Curiosidade: Jorge Rabello, que há 4 anos era o chefe dos árbitros e foi preso, voltou ao cargo. Recordando: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2019/12/18/a-prisao-do-ex-chefe-dos-arbitros-do-rj-e-ex-presidente-da-comissao-de-arbitros-da-ferj-jorge-rabello/

Curiosidade 2: Sérgio Corrêa da Silva, que foi demitido da CBF (era orientador de VAR), tornou-se orientador do VAR na FPF.

Extraído de: https://www.correiobraziliense.com.br/esportes/2023/01/5068873-campeonato-carioca-tera-relogio-parado-em-acoes-do-arbitro-de-video.html

CAMPEONATO CARIOCA TERÁ RELÓGIO PARADO EM AÇÕES DO ÁRBITRO DE VÍDEO

Decisão tem como objetivo não seguir excesso de acréscimos, uma das heranças da Copa do Mundo. Paralisação será restrita ao relógio do árbitro principal

por Paulo Queiroz

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) anunciou nesta quarta-feira (25/01), uma alteração relacionada ao árbitro de vídeo em regra de vigor imediato. O relógio principal do jogo, portado pelo juiz de campo, poderá ser paralisado enquanto da ação de revisão dos lances no VAR, tanto na cabine quanto na sala de comunicação.

A mudança serve para reduzir o tamanho dos acréscimos nas partidas, indo de contramão à regra de jogo líquido e descontado após os 45 minutos regulamentares em ambos tempos, situação tida como exagerada após a Copa do Mundo Qatar-2022. No Rio de Janeiro, apenas o mediador central do jogo poderá interromper seu cronômetro em meio a um lance passível de análise virtual.

A ideia também serve para manter a tradição de minutos adicionados devido a circunstâncias naturais da partida. “Os acréscimos adicionados ao tempo regulamentar serão decorrentes das paralisações no campo de jogo”, descreveu a entidade, em nota oficial.

A novidade entra, por sorte, na hora certa em relação ao regulamento do Campeonato Carioca, uma vez que o primeiro clássico do ano, Vasco x Botafogo, antes previsto para a última terça-feira (23/01), foi remarcado para 16 de fevereiro. O recurso de assistência estará presente apenas nos clássicos da primeira fase e, a partir das semifinais, em todos os jogos. A medida possivelmente confundirá a quem assiste pela televisão, com a incerteza de paralisação e as compensações mais curtas ao final das metades de jogo.

A Ferj também anunciou sobre a utilização de uma linha mais grossa na análise do impedimento, quando este vai ao VAR. A estreia fura o início do uso previsto pela CBF, que terá o mesmo recurso na Supercopa do Brasil, envolvendo o também carioca Flamengo contra o Palmeiras, neste sábado (28/01).

Invenção, é com o Cariocão

Esta novidade de arbitragem não é a única coisa testada na era recente do campeonato do Rio de Janeiro. O estadual contou com o quinto e sexto árbitros, ao lado dos gols, por mais tempo do que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) regulou, para o aspecto nacional. Alegando alto custo de manutenção após o triênio 2012-2014, um pedido de clubes menores do estado voltou com o sexteto de juízes em 2017 e 2018 exclusivamente no Carioca.

O episódio mais conhecido incluindo os árbitros de linha de fundo foi justamente na final estadual de 2014. Nos acréscimos, Márcio Araújo foi responsável visual e direto pelo gol do título do Flamengo, diante do Vasco. Entretanto, a súmula acusou autoria do impedido Nixon pelo tento. O auxiliar estava próximo ao lance, mas nada disse. Deixou o confuso Marcelo de Lima Henrique titubear e apontar para o meio do campo, para consagrar o Fla vencedor daquela edição em erro grosseiro de todo conjunto mediador.

Antes da decisão, pela oitava rodada da Taça Guanabara, o vascaíno Douglas teve um gol de falta anulado após a bola quicar 33 centímetros para dentro da meta do flamenguista Felipe, com o juiz de linha claramente concentrado no lance, de frente para a cena. Aquele Clássico dos Milhões terminaria em 2 x 1 para o rubro-negro.

(crédito: Úrsula Nery/Agência FERJ)

– As novas linhas do VAR estrearão na Supercopa.

O jogo do próximo sábado entre Flamengo x Palmeiras terá uma novidade: as linhas do impedimento do VAR imitarão a da Premier League, ou seja: serão mais grossas, a fim de que os milimétricos impedimentos diminuam e os atacantes sejam favorecidos.

A ideia é boa: só falta termos arbitragem e comportamento de atletas igual aos da Inglaterra…

Novo modelo do VAR será implementado na Supercopa do Brasil I Foto: Robson Mafra

Foto: Robson Mafra, extraída de: https://tntsports.com.br/futebolbrasileiro/Supercopa-do-Brasil-tera-novo-modelo-de-VAR-com-linhas-de-impedimento-mais-grossas-20230124-0020.html

– Análise Pré-Jogo para Red Bull Bragantino x Ferroviária.

Para o confronto do Massa Bruta contra a Ferrinha no Nabizão, teremos:

Árbitro: Thiago Lourenço de Mattos
Árbitro Assistente 1: Luiz Alberto Andrini Nogueira
Árbitro Assistente 2: Gustavo Rodrigues de Oliveira
Quarto Árbitro: Rafael Gomes Felix da Silva
VAR: Jose Claudio Rocha Filho
AVAR1: Marco Antonio de Andrade Motta Junior
Observador VAR: Luiz Vanderlei Martinucho
Quality Manager: Bernardo Campos Martins
Analista de Vídeo: Marcio Luiz Augusto
Técnico de Garantia FPF: Rodolfo Martins
Operador de Replay: Paulo Pereira
Técnico de Garantia Estádio: Gustavo Xavier
Assistente de Área de Revisão: THIAGO ELIAS DA SILVA
Thiago tem 37 anos e está tendo oportunidades desde o ano passado na A1 em jogos considerados “fáceis para se apitar”. Não tem decepcionado, apesar de não ter encontrado partida difícil até agora. Que continue assim! Aliás, ele trabalhou como 4º árbitro na semana passada em São Bernardo x Red Bull Bragantino.
O detalhe dessa partida é: leio que teremos um elemento a mais na equipe de árbitros, o “Técnico de Garantia de Estádio”. Seria o fim de evitar os apagões do VAR?
Acompanhe conosco o jogo Red Bull Bragantino x Ferroviária pela Rádio Futebol Total, acessando o App na sua Play Store / App Store, ou:
YouTube: https://www.youtube.com/c/CANALDOLOREDO, ou
Facebook: https://www.facebook.com/radiofuteboltotalbraganca, ou
Twitter: https://twitter.com/radiodaverdade,
ou ainda pelo site: http://radiofuteboltotal.com.
Narração de Sérgio Loredo, comentários de Lucas Salema e reportagens de Pietro Loredo. Quarta, 25/01, 19h00. Mas desde às 18h00 estaremos no ar para levar a melhor transmissão para você, torcedor!

– E aí, dona FPF? Algumas coisas merecem bom senso…

Inadmissível a FPF não se pronunciar sobre “os apagões do VAR”. Por instantes / segundos e até vários minutos, o sistema eletrônico do árbitro de vídeo sai do ar, e o jogo vai sendo apitado por momentos com uma regra, em outros, por outra. Em algumas partidas isso aconteceu no Paulistão 2023.

Inadmissível também a falta de bom senso: Edina Alves Batista está retomando a carreira depois do primeiro semestre 2022 muito ruim, por culpa técnica e problemas pessoais, que culminou numa desastrosa arbitragem em Santos x São Paulo (que custou-lhe um longo “descanso”). E justo agora, quando a moça se firma, a FPF a escala na Vila Belmiro, para Santos x Água Santa. Precisava?

Inadmissível, por fim, depois de não marcar um pênalti ao Santos FC no último lance da partida, virando as costas para o jogador e apitando o final da partida, escalar para São Paulo x Portuguesa o árbitro Salim Fende Chavez. Prêmio por erro cometido?

Com a palavra, os responsáveis para justificar tudo isso…

FPF diz não descartar entrar na Justiça pela continuação do Paulistão